,
Aguarde carregando...!!!

PROJETOS /

Concreto

O concreto – mistura de cimento, areia e água – é um material extremamente versátil, utilizado tanto em estruturas quanto no tratamento de fachadas de edifícios. Pode receber acabamento ou ser aparente. Este último dá a colunas, paredes, forros, lajes e pisos uma aparência rústica, mas que também pode ser sofisticada, valorizando o imóvel.

Residência

DF, BRASÍLIA, Brasil

Ambiente e Aplicações:
Diferenciais técnicos:
Materiais predominantes:

BLOCO Arquitetos

Residência

SP, UBATUBA, Brasil

Ambiente e Aplicações:
Diferenciais técnicos:
Design /
Materiais predominantes:

Apiacás Arquitetos

Residência

SP, SÃO PAULO, Brasil

Ambiente e Aplicações:
Diferenciais técnicos:
Design /
Materiais predominantes:

gruposp

Residência

SP, ITUPEVA, Brasil

Ambiente e Aplicações:
Diferenciais técnicos:
Materiais predominantes:

Flavia Medina Arquitetura

Residência

SP, SÃO PAULO, Brasil

Ambiente e Aplicações:
Diferenciais técnicos:
Design /
Materiais predominantes:

/ Reinach Mendonça Arquitetos Associados

Esse material, tão essencial em construções, pode ser usado tanto em áreas internas quanto externas de obras comerciais ou residenciais, pontes ou viadutos, estações de metrô, estacionamentos e garagens. Contudo, não é recomendado para áreas molhadas, como cozinhas e banheiros, ou com presença de substâncias gordurosas, como frigoríficos.

A seleção de insumos para preparação do concreto aparente é mais criteriosa do que a do convencional: todos devem ser do mesmo lote. Além disso, os agregados miúdos precisam ser separados de acordo com a cor e granulometria, e o teor de argamassa deve ser mais elevado do que o do concreto tradicional, de modo a minimizar eventuais correções por problemas na execução, o que comprometeria a estética da obra. Para garantir a uniformidade da cor, os finos e a quantidade de água precisam ser bem especificados, e o cimento, o mais puro possível.

Para um bom resultado, o concreto aparente precisa ser previsto no projeto estrutural/arquitetônico, e a mão de obra especializada deve ser contratada para a execução. Deve-se atentar, ainda, para o uso de fôrmas adequadas e de armaduras protegidas com nata de cimento ou galvanizadas, a fim de evitar manchas provocadas por corrosão, difíceis de serem removidas. Para o acabamento, pode-se aplicar proteção superficial epóxi, de poliuretano ou acrílica.

Concreto armado

Para construção de estruturas na construção civil, a opção mais utilizada no mundo é o concreto armado. Ele pode ser empregado em edificações, pontes, viadutos, estações de tratamento de água, usinas hidrelétricas etc. Suas principais características são a durabilidade; a resistência à compressão, ao fogo, a intempéries, ao choque e a vibrações; e a impermeabilidade. A armadura, que protege o aço da corrosão, pode ser pré-montada ou protendida. A protensão é o prévio estiramento do aço. Assim, quando começam as tensões, a armadura já está ativa e já comprimiu o concreto ao seu redor. No entanto, a viabilidade dessa opção precisa ser avaliada caso a caso. Para pontes com vão maior do que 20 m, o concreto protendido é vantajoso. Já para estruturas menores, não, pois seu custo é elevado devido ao preço mais alto do aço utilizado.

Já o concreto armado não protendido é uma solução econômica, pois sua matéria-prima é barata, e a sua execução, rápida. Além disso, não necessita de mão de obra especializada, pois é preparado com equipamentos simples. O transporte, o adensamento e a vibração também são fáceis. Os pontos negativos são o peso elevado, o índice de isolamento termoacústico e o fato de a demolição e a reforma, se necessárias, serem caras e trabalhosas.

Pré-fabricados

Pré-fabricados de concreto – cujos elementos estruturais ou parte da estrutura são moldados fora da obra, na fábrica – estão em alta, principalmente na construção de galpões industriais e edifícios varejistas. Em edifícios altos, ele é vantajoso, pois pode ser executado rapidamente. A economia de tempo compensa o valor, que pode ser mais elevado do que o do sistema convencional, em alguns casos. As peças são leves, o que facilita o transporte.

A especificação dos pré-fabricados deve estar de acordo com o projeto estrutural e com a norma técnica NBR nº 9062/2006 – Projeto e Execução de Concreto Pré-moldado, da ABNT. Já as lajes alveolares pré-fabricadas ou protendidas de concreto seguem a Norma NBR nº14861/2011 da ABNT. No concreto que compõe os pré-fabricados, a dosagem dos insumos é mais precisa, e, após serem moldados, a cura dos elementos estruturais é feita com temperatura controlada, diferentemente do concreto moldado no canteiro de obra, que passa por processo de cura normal.

As fachadas pré-fabricadas de concreto também são uma tendência atual. Os custos com manutenção são reduzidos e a montagem é rápida. A dimensão das peças depende do que for especificado no projeto. Em geral, porém, as peças maciças medem 10 cm, enquanto as preenchidas com isopor e as vazadas, entre 12 e 20 cm. A maioria das peças é aparafusada, mas também há as que podem ser soldadas. O mais importante, no entanto, é proteger a ligação, para que o metal não sofra corrosão.

O acabamento pode ser realizado na obra, mas o melhor é que seja feito na fábrica, para que não se percam as vantagens da pré-fabricação. Há muitas opções, como o concreto lavado com retardador de pega; o concreto jateado com jatos de areia e água ou esferas de vidro; o concreto aveludado por lavagem com ácido; e o revestimento com granitos, mármores, materiais cerâmicos ou tijolos aparentes.

Saiba mais sobre fachadas pré-fabricadas de concreto

Conheça algumas patologias do concreto e os tratamentos ideais

novidades fechar
Receba o boletim da
Galeria da Arquitetura
veja um exemplo