> > > Casa Fortunata

Casa Fortunata

Casa Fortunata
Projetada pelo premiado arquiteto Luciano Lerner Basso, a Casa Fortunata propõe reflexões sobre as relações entre o homem e a natureza e faz uma leitura cuidadosa dos condicionantes ambientais, objetivando uma mínima intervenção na topografia Foto/Imagem:Manuel Sá

Formas harmoniosas

Em um bairro tradicional e densamente arborizado de Caxias do Sul (RS), a Casa Fortunata foi sutilmente implantada ao redor de uma enorme Araucaria angustifólia (árvore conhecida como pinheiro brasileiro ou simplesmente araucária). Com projeto de Luciano Lerner Basso, a construção é um dos 20 projetos indicados pelo Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB) para representar o país na 3ª edição do prêmio Oscar Niemeyer. A residência também já foi premiada no 8º Prêmio Saint-Gobain de Arquitetura; recebeu o título Casa do Ano na premiação do IAB-RS (2021); e Menção Honrosa no IV International Golden Trezzini Awards.

A mínima intervenção na vegetação e na topografia é um dos seus principais diferenciais. De acordo com Basso, a vegetação nativa foi preservada praticamente em sua totalidade. “Se fosse possível um enorme guindaste içar a casa e pousá-la em outro lugar, o terreno original permaneceria praticamente intacto, sem rastros da obra”, diz.

Trata-se de um projeto que expande o campo da própria arquitetura e traz reflexões sobre as relações entre a casa e a cidade, entre o homem e a natureza Luciano Lerner Basso

Em seu projeto, Basso traçou formas harmoniosas, de modo que a geometria apenas repousa sobre o terreno. O volume principal é sustentado por um pilotis que delicadamente toca o solo e adapta-se à conformação natural do terreno. “Trata-se de um projeto que expande o campo da própria arquitetura e traz reflexões sobre as relações entre a casa e a cidade, entre o homem e a natureza. Uma casa onde a técnica é a ferramenta utilizada pelo arquiteto para gerar a forma e ordenar o espaço. Uma arquitetura genuinamente brasileira”, define o arquiteto.

Para acessar a casa, os moradores percorrem um caminho sinuoso de terra batida e brita. A rua adentra o pátio e se estende até a porta de entrada. “A intenção é que o chão da casa seja o mesmo da cidade; o desejo de criar espaços urbanos sem barreiras, de integrar o público ao privado”, comenta Basso.

Programa racional

Projetada para um jovem casal, a morada conta com um programa simples e ambientes integrados. No nível inferior, sob o pilotis, há um abrigo de automóveis. Na entrada da casa, ficam o vestíbulo e a lavanderia. No nível superior, a partir da união geométrica de quatro retângulos, foi projetada uma planta estruturalmente aberta que organiza, através de elementos leves, as funções de estar, dormir e trabalhar.

Completando o programa, três varandas ampliam a sala de estar e a colocam em contato direito com a paisagem. Sem cortinas ou barreiras visuais entre dentro e fora, os moradores têm contato permanente com a natureza. “Ao mesmo tempo que habitam a casa, também habitam a mata”, expõe Basso.

Materiais predominantes

Basta um rápido olhar para a Casa Fortunata para perceber que o concreto armado aparente é um material de destaque. Ele está na estrutura, nos fechamentos, nos degraus da escada e até no mobiliário fixo. Segundo o arquiteto Luciano Lerner Basso, trata-se de um material que envelhece com a mesma beleza da natureza, resiste bem às intempéries e exige baixa manutenção mesmo em meio à umidade da mata.

O projeto também fez uso de esquadrias de alto desempenho com corte térmico, vidros duplos e EPS (poliestireno expandido) nas lajes de piso e de cobertura para promover isolamento térmico, já que a morada está situada numa região serrana.

A preocupação com a sustentabilidade fica evidente no uso de madeiras de reflorestamento nas fôrmas do concreto; reúso desta madeira para construção das varandas; tratamento do concreto aparente com produtos livres de solventes; sistema de aquecimento alimentado por combustível ecológico; aproveitamento da água da chuva para irrigação; iluminação natural em todos os cômodos, inclusive com uso de claraboias; e iluminação artificial realizada apenas com lâmpadas LED, incluindo automação para o controle da iluminação externa.

Veja outras residências construídas em meio ao verde

Casa Palicourea, do BLOCO Arquitetos

Wooden House, do Studio PikaPlus Architecture

Casa da Mata, do Departamento de Arquitetura


Escritório

Luciano Lerner Basso Arquitetura3 projeto(s)

Local: RS, Brasil
Conclusão da obra: 2020
Área do terreno: 1000
Área construída: 240

Tipo de obra:
Residência
Tipologia:
Residencial

Materiais predominantes:

Diferenciais técnicos:

Slideshow

Ficha Técnica

Exibir mais itens
novidades fechar
Receba o boletim da
Galeria da Arquitetura
veja um exemplo