> > > Goose Island Brewhouse

Goose Island Brewhouse

Goose Island Brewhouse
A cervejaria estadunidense Goose Island Brewhouse destaca-se no Largo da Batata, em São Paulo (SP), por seu estilo despojado e ousado, além do conceito brewpub: um bar que produz e vende a própria cerveja Foto/Imagem:Maíra Acayaba

Estilo norte-americano em terras brasileiras

Desde 1988, quando foi fundada por John Hall em Chicago (EUA), a Goose Island Brewhouse é conhecida por ser um brewpub (bar que fabrica e comercializa a própria cerveja). Pensando em trazer esse conceito para o Brasil num ambiente descolado e cheio de personalidade, a rede realizou um concurso para definir quem realizaria o projeto arquitetônico do estabelecimento. Os vencedores foi o time de arquitetos brasileiros do SuperLimão Studio e o escritório canadense mckinley burkart | architecture + interior design.

O desejo dos proprietários da marca era ter cinco brewpubs ao redor do mundo. No Brasil, escolheram o Largo da Batata, no bairro paulistano de Pinheiros. No bar, os frequentadores podem experimentar cervejas artesanais de variados sabores.

Transformação urbana

As cervejarias da rede Goose Island Brewhouse ficam sempre em regiões que passam por intensa transformação urbana. Por exemplo, a primeira brewhouse, em Chicago, foi construída numa antiga zona industrial que se tornou uma área jovem e frequentada por artistas.

O mesmo aconteceu com a versão brasileira: o bairro vem passando por um processo de reurbanização. “Eu acho que o Largo da Batata é um dos pontos de maior mudança em São Paulo. Vila Madalena-Pinheiros é o eixo das cervejas e uma área de grande transformação”, revela o arquiteto e engenheiro Lula Gouveia, do SuperLimão Studio.

Reforma

A fachada lateral tem um painel assinado pelo artista brasileiro NOVE Foto: Maíra Acayaba

A casa que abriga a sede brasileira foi a única que restou de um processo de desapropriações da Companhia do Metropolitano de São Paulo (Metrô). Seu volume conta com 10 m de frente e 40 m de fundo e duas fachadas com estilos diferentes.

A entrada vertical remete à construção original. Já a lateral, voltada para o largo, tem uma parede que revela a harmonia entre o antigo galpão e a nova cervejaria, além dos tanques brancos nos quais são produzidas as cervejas. Conseguimos compactar o programa e deixá-lo muito funcional. Os equipamentos dessa cervejaria são de ótima qualidade. Mesmo em um espaço pequeno, eles têm uma produção muito grande e boa Lula GouveiaEssa fachada recebeu um colorido painel assinado pelo artista brasileiro NOVE, baseado na história da região. Por meio das cores, Nove deu um toque de brasilidade ao bar norte-americano.

Durante a obra, o projeto foi tomando forma. As paredes de tijolos antigos, principalmente as da entrada, são da antiga construção. “Na primeira vez em que entramos no espaço, todo mundo ficou assustado e queria ir para outro lugar. Mas apostamos, e o mais legal é que conforme foi acontecendo a reforma, a estrutura começou a aparecer. Se olhar as paredes, principalmente as da entrada, vai ver que são superoriginais, com os tijolos antigos, da época do galpão”, menciona Gouveia.

O arquiteto também conta que enquanto reformavam encontraram vários tipos de tijolo, o que indica que a casa já deve ter passado por, pelo menos, quatro reformas ao longo dos mais de 100 anos de existência.

Programa “cervejeiro”

A Goose Island Brewhouse de São Paulo deveria seguir o mesmo estilo das outras cervejarias da rede. Assim, os profissionais juntaram a cervejaria e o bar em dois programas distintos – desde sanitários até fluxos. As duas partes foram integradas para montar o layout da marca, e o ponto de partida foi o maquinário – o coração do projeto –, já que é de lá que saem as cervejas produzidas na casa. Com isso, a cervejaria ficou no centro do bar, podendo ser vista até do caminho para o banheiro.

O bar conta com portas de correr que, quando abertas, fazem os espaços parecerem um só. Ao chegar, o cliente encontra a recepção, que também funciona como loja. Seguindo por um corredor está ao salão principal, e ao fundo fica a cervejaria. No térreo, também há uma pequena área externa, estão as mesas do serviço à la carte.

Do terraço tem-se uma bela vista para o Largo da Batata. É um espaço agradável tanto para dias ensolarados quanto para chuvosos Foto: Maíra Acayaba

No lado oposto a esta área, foram criados alguns vãos que permitem a entrada de iluminação natural em todo o ambiente. Rente a essa parede, foi implantada uma grande calha contendo plantas da espécie jiboia e que ao longo do tempo vão dominando as instalações aparentes.

A caminho do segundo andar, fica uma pequena sala com cervejas especiais, que foram colocadas em barris para o envelhecimento.

No segundo pavimento, o público pode desfrutar do charmoso beer garden, um terraço com bela vista para o Largo da Batata, além de uma grande área externa protegida por uma pérgola de madeira com cobertura retrátil, que garante o conforto dos clientes tanto em dias quentes quanto frios e chuvosos. Esse ambiente possui um segundo bar, uma parrilheira e um pomar. O resto do espaço é ocupado por áreas técnicas e uma cozinha.

“Conseguimos compactar o programa e deixá-lo muito funcional. Os equipamentos dessa cervejaria são de ótima qualidade. Mesmo em um espaço pequeno, eles têm uma produção muito grande e boa”, conclui Gouveia.

Veja outros projetos de bar na Galeria da Arquitetura:

Perro Libre Tap Room, por Tellini Vontobel Arquitetura

Bar Mundial, por Apiacás Arquitetos

Sarau Gastrobar, por Basiches Arquitetos Associados

Escritório

SuperLimão Studio21 projeto(s)

Local: SP, Brasil
Conclusão da obra: 2016
Área construída: 750

Tipo de obra:
Bares
Tipologia:
Comercial

Materiais predominantes:

Diferenciais técnicos:

Ambientes e Aplicações:

Slideshow Desenhos e plantas

Ficha Técnica

Exibir mais itens

Receba gratuitamente os Boletins e
Informativos da Galeria da Arquitetura.

(55 11) 3879-7777

Fale conosco Anuncie

Outros produtos da e-Construmarket

novidades fechar
Receba o boletim da
Galeria da Arquitetura
veja um exemplo