> > > Mobilizarte - Mobile Cultural Structure

Mobilizarte - Mobile Cultural Structure

Mobilizarte - Mobile Cultural Structure
Uma obra viva com sistema estrutural altamente flexível, capaz de ser transportada e adaptada para qualquer terreno. Assim é o Espaço Cultural Móvel Mobilizarte Foto/Imagem:Divulgação PAX Arquitetura

Estrutura itinerante

Uma estrutura flexível, capaz de ser transportada e adaptada a qualquer lugar ou espaço. Essa é a ideia principal do Espaço Cultural Móvel Mobilizarte, criado pelo escritório PAX.ARQ em parceria com o Frentes Arquitetura. Formado por três elementos básicos – balizas, prismas e membranas – que podem estar integrados ou interdependentes, o projeto foi planejado para atender eventos culturais de forma itinerante, durante seis meses, percorrendo 10 cidades programadas.

Trata-se de uma obra abertaPaula Sertório “Trata-se de uma ‘obra aberta’, viva”, interpreta a arquiteta Paula Sertório, do PAX.ARQ. “Altamente flexíveis, os espaços poderão ser alterados, densificados, dissolvidos, recombinados, renovados ou suprimidos para dar lugar a novas formas que atendam às necessidades no decorrer do tempo”, explica.

Com esse conceito construtivo diferenciado, a obra torna-se extremamente adaptável, por se referir a um sistema capaz de ser transformado durante o tempo e o espaço, assumindo características diversas e configurações extraordinárias.

Paula completa que nunca haverá uma mesma apresentação do Módulo Mobilizarte nas diferentes cidades por onde passar, pois mesmo integrados e interdependentes, cada um dos três elementos básicos estabelecerá uma relação própria com o lugar onde for instalado. Reflexo disso é a própria área ocupada. Inicialmente projetado para 500 m², o sistema é extensível até a dimensão total da membrana inflável, que pode atingir 5.400 m².

Agilidade construtiva

O sistema consiste fundamentalmente em três elementos: uma estrutura primária, formada por andaimes; uma secundária, onde se encontram vigas infláveis; e, por último, uma cobertura composta por uma membrana inflável. Na fachada foram dispostos painéis de policarbonato combinados a lonas plásticas. A simplicidade dos componentes permite o transporte por dois contêineres e a montagem em apenas duas semanas.

“Como o sistema de andaimes é utilizado em qualquer parte do mundo, adotamos a estratégia de alugá-los em cada cidade por onde o Mobilizarte passar. Caso seja preferível logística e financeiramente fabricar andaimes próprios, acrescentaremos contêineres para o transporte do conjunto”, explica Paula Sertório.

Três elementos

Cada um dos elementos da estrutura – balizas, prisma e membrana – foi projetado para se adaptar totalmente a qualquer tipo de terreno. As balizas – um conjunto de torres de andaimes – são estruturas leves, autônomas e provisórias, estáveis e de fácil montagem. Com alturas variadas de até 10 m, elas têm a função de delimitar os espaços fechados, estruturar os pisos e as rampas e ancorar a cobertura. As posições serão definidas de acordo com o local escolhido para ser fixado.

Já o prisma, com 10 metros de altura e construído com andaimes, é constituído de quatro pavimentos cujos pisos apoiam-se sobre vigas infláveis, sendo envolto por uma lona plástica resistente e impermeável. Esta ‘capa’, além de ser a referência vertical da intervenção, pois transforma os espaços conforme a posição que ocupar – como se fosse um grande biombo –, tem a função de abrigar áreas de acervo técnico e armazenagem geral, servindo também de tela de projeção para o cinema.

Nesse marcante e enigmático monolito branco é possível projetar dois filmes simultaneamente em cada uma de suas principais faces. “Isolado ou junto, desterritorializado ou telúrico, nômade ou vinculado, dependente ou autônomo, fixo ou dinâmico, mas sempre resoluto, o prisma poderá ser montado fora ou dentro, longe ou perto do módulo, compondo conjuntos diferentes, heterogêneos, mas cujo todo manterá o mesmo caráter”, esclarece a arquiteta.

Membrana ‘de crochê’

A membrana foi inspirada em dois elementos tradicionais brasileiros ideais para cobrir e proteger: as Uma imensa membrana inflável, dramaticamente configurando os espaços internos e externos por meio de movimentos ondulantes, negando fixar-se no espaço e aspirando ser mutantePaula Sertório colchas de crochê, rendas ou de retalhos e os cobogós, elementos vazados muito utilizados nas fachadas de edifícios. “Este é o principal traço conceitual do módulo Mobilizarte. Uma imensa membrana inflável, dramaticamente configurando os espaços internos e externos por meio de movimentos ondulantes, negando fixar-se no espaço e aspirando ser mutante”, descreve Paula.

A função primordial é cobrir e proteger das intempéries. Inclinada, tombada, pendurada, deitada, esticada, esvoaçada e languidamente esparramada, durante o dia esta superfície de ‘tecido inflável’ sombreará o espaço; à noite, ela se transformará em fonte de iluminação, um imenso corpo flutuante pairando sobre o solo. Seu ritmo espacial criará impactantes perspectivas tanto para quem a vê de longe quanto para quem está dentro dela.

Adaptando-se ao contexto espacial de cada lugar, a membrana também poderá ser instalada como um espaço independente em terrenos planos ou inclinados. Sua estrutura permite incorporar-se de forma simbiótica a um edifício existente, absorvendo-o ou anexando-se a ele, como uma extensão.

 


Escritório

PAX.ARQ9 projeto(s)

Local: SP, Brasil
Área construída: 10.000

Materiais predominantes:

Diferenciais técnicos:

Ambientes e Aplicações:

Slideshow Desenhos e plantas

Ficha Técnica

  • Arquitetura: PAX.ARQ
  • Arquitetura: PAX.ARQ - PAX.ARQ (autor); Frentes Arquitetura (coautor); Alecsander Gonçalves, André Mack (colaboradores); Yopanan Rebello (consultor/ estrutura).
  • Estrutura: Yopanan Rebello
Exibir mais itens
novidades fechar
Receba o boletim da
Galeria da Arquitetura
veja um exemplo