> > > Complexo Hoteleiro e Eventos

Complexo Hoteleiro e Eventos

Complexo Hoteleiro e Eventos
Projetado pelo escritório Razzo Arquitetura, o Hotel Zahara faz parte do complexo que abrange o edifício de eventos, destacando-se pela volumetria vertical – em contraponto ao outro partido, este horizontal – e pelo predomínio de vidro na fachada Foto/Imagem:Paulo Pedron

Duas funcionalidades, um único conjunto

O Complexo Hoteleiro e Eventos, projetado pela Razzo Arquitetura, foi concebido para suprir a carência da cidade de Limeira, São Paulo, por um hotel capaz de atender grandes eventos e convenções, com apartamentos de nível equivalente. O partido agrupa em um único lote dois edifícios com funcionalidades distintas, mas que se complementam.

"Embora o projeto tenha se dividido em duas fases, ambas foram desenvolvidas em conjunto, pois havia diversos elementos em comum. O estacionamento, por exemplo, foi um dos fatores que nos levou a pensar na implantação geral das edificações. Existia o interesse por parte do proprietário de iniciar primeiramente a obra do edifício Zarzuela, destinado aos eventos. Posteriormente, o foco seria a construção do Hotel Zahara", explica Matias Razzo, arquiteto.

Jogo de volumes e elementos construtivos

O contraste entre os volumes retos e circulares, a predominância do vidro e as configurações horizontal (prédio de eventos) e vertical (edifício do hotel) são aspectos que permitiram criar uma identidade arquitetônica interessante ao conjunto.

O arquiteto conta que a ideia era proporcionar um grande impacto visual ao hotel, capaz de chamar a atenção à distância, pois a construção situa-se à beira da Rodovia Anhanguera. “Nesse caso, propusemos a verticalização. O edifício de eventos, por sua vez, tem uma configuração horizontal, contrapondo de forma harmoniosa ao partido principal. Mesmo assim, ambos seguem a mesma linguagem arquitetônica, com o predomínio do vidro".

A construção convencional, tem estrutura de concreto armado e fechamento de alvenaria cerâmica, com reboco e pintura. No edifício Zarzuela há uma laje plana de 25 cm de concreto maciço e vãos de 10 x 10 m, com sistema de cobertura metálica. Já no Hotel Zahara destacam-se o gesso – amplamente utilizado nos forros e nas divisões dos ambientes, contribuindo para a sensível redução de carga da estrutura –; pedras, que conferiram sofisticação; e vidro e alumínio, um conjunto de elementos responsável pelo estilo arquitetônico moderno.

Prédio de eventos funcional

No projeto original, o edifício de eventos com dois pavimentos abrigaria uma churrascaria para 400 pessoas, com cozinha industrial anexa que serviria para o preparo dos alimentos e, também, para o hotel. “Mas como o acesso à Rodovia Anhanguera não foi liberado, e contávamos somente com um acesso ao local por via interna do município, ficou inviável a abertura da churrascaria. Por isso, o salão do pavimento térreo também está sendo utilizado para festas e eventos, o que possibilita ao complexo receber dois eventos de grande porte simultaneamente”, esclarece Matias.

O pavimento superior, por sua vez, comporta até mil pessoas. Ele conta com um grande lounge na entrada, escada redonda e elevador para 20 pessoas, incluindo deficientes físicos. No salão há um palco amplo, conjunto de sanitários, bar e cozinha secundária – ligada à principal, que está no térreo, por um elevador monta cargas.

Hotel com arquitetura moderna

O hotel Zahara possui térreo (recepção, administração e serviço) e 11 pavimentos, sendo 10 apartamentos do primeiro ao nono andar (duas unidades são adaptadas para cadeirantes), e quatro no décimo. Além disso, há dois apartamentos de luxo (do segundo ao nono andar), padrão presidencial e máster (este fica no décimo pavimento).

“Como os apartamentos das pontas seriam diferenciados, foram criadas sacadas fechadas. As unidades centrais, destacadas à frente com janelas do tipo pele de vidro, ficaram com desenho no sentido horizontal, dentro do vão. Já as fachadas laterais – levemente recuadas –, possuem janelas com panos de vidro externos ao vão, formando um grande painel de vidro vertical”, detalha Matias.

O último andar do prédio é destinado a pequenos eventos e café da manhã / restaurante. O arquiteto também relata que o projeto estabeleceu um balanço na parte dos fundos, fazendo uma curva inversa à curva da torre. A solução cria um mirante com vista para toda a cidade de Limeira, já que a Rodovia Anhanguera fica localizada na parte mais alta da cidade.

“A torre abrigou as janelas do apartamento na face leste – da fachada principal –, o que causou um impacto visual, quebrando o aspecto quadrado, com dimensões horizontais equivalentes às verticais. Daí nasceu a ideia de arredondar o prédio – eliminando a impressão de uma grande empena sem vida –, e gerar uma nova volumetria”, conclui o arquiteto Matias Razzo.


Fornecedores desta obra

Escritório

Razzo Arquitetura1 projeto(s)

Local: SP, Brasil
Início do projeto: 2014
Conclusão da obra: 2014
Área do terreno: 13.400
Área construída: 10.518

Tipo de obra:
Hotéis
Tipologia:
Lazer e Turismo

Materiais predominantes:

Diferenciais técnicos:

Ambientes e Aplicações:

Slideshow

Ficha Técnica

Exibir mais itens
novidades fechar
Receba o boletim da
Galeria da Arquitetura
veja um exemplo