> > > Mula Preta

Mula Preta

Mula Preta
Com nome inspirado na música do Rei do Baião, a Mula Preta enaltece a cultura nordestina. A edificação com 680 m² – que fica no bairro Jardim América, em São Paulo – tem traços minimalistas e fachada misteriosa Foto/Imagem:Leonardo Finotti

Fachada misteriosa

Com nome inspirado na música do Rei do Baião, a Mula Preta enaltece a cultura nordestina. A edificação com 680 m² – que fica no bairro Jardim América, em São Paulo – tem traços minimalistas e fachada misteriosa, para aguçar a curiosidade dos passantes que a avistam de fora. Em seu interior, apresenta móveis e objetos assinados por André Gurgel e Felipe Bezerra.

Trazer a cultura nordestina à cidade de São Paulo. Foi esse partido que definiu a Mula Preta – cujo nome foi inspirado na música “Moda da Mula Preta”, de Luiz Gonzaga. A marca é fruto da parceria entre o arquiteto Felipe Bezerra e o designer André Gurgel. 

Ao idealizar o projeto arquitetônico de sua própria loja, Bezerra queria um edifício minimalista, que deixasse o mobiliário protagonizar seu interior. Implantada no limite sul de um terreno com 1.000 m², a edificação com dois pavimentos em “L” flutua em balanço sobre uma vitrine que se rasga na porção oeste da fachada. Devido ao prazo exíguo – apenas cinco meses – a construção foi erguida em estrutura metálica e vidro.

Vista por fora, a loja é convidativa e, ao mesmo tempo, misteriosa, para estimular a curiosidade dos passantes. Na fachada, telhas metálicas onduladas fecham o volume frontal, deixando apenas uma faixa envidraçada que permite a visibilidade parcial do interior, convidando os clientes e visitantes a entrarem. A parede lateral ganhou revestimento preto de origem nordestina. O arquiteto trouxe o elemento de sua terra natal – Rio Grande do Norte –, para enaltecer a identidade potiguar da marca. 

O mezanino envidraçado faz parte do showroom da marca Foto: Leonardo Finotti 

Com base na ideia de um programa fluido, Felipe criou um showroom com peças organizadas no térreo e no mezanino envidraçado. Internamente, o pé-direito duplo integra visualmente os dois planos. O painel luminoso backlight permite a visualização de itens de  destaque e realça as paredes negras. O teto é forrado por telas metálicas perfuradas e, sobre elas, estão as estruturas de ar-condicionado e dutos de elétrica.

Na porção leste do lote, o térreo se abre para um pátio com cobertura retrátil. Adaptável, o espaço abriga cozinha, mesas de jogos e costuma ser utilizado para receber clientes e parceiros da marca.

Em um gesto de gentileza urbana, à frente da loja, uma pequena praça ao ar livre – que, futuramente será uma tapiocaria aberta ao público – é cedida para o lazer dos moradores da região. O ambiente possui fonte e um pergolado curvo que dá origem a um banco e à cobertura. “Ele convida as pessoas a entrarem para conhecer. E suas curvas quebram a monotonia das linhas retas da fachada”, conta Felipe Bezerra. Um amplo jardim, de autoria do paisagista Alex Hanazaki, segue um conceito árido e tira partido de cactos e suculentas com o objetivo de reproduzir a vegetação desértica do Nordeste.

Veja outras lojas na Galeria da Arquitetura:

Móveis Gottems, por Tartan Arquitetura

Damyller, por SuperLimão Studio

Loja Botânica Inhotim, por Rizoma Arquitetura


Escritório

Felipe Bezerra Arquitetos1 projeto(s)

Local: SP, Brasil
Início do projeto: 2019
Conclusão da obra: 2020
Área do terreno: 1.000
Área construída: 680

Tipo de obra:
Showroom
Tipologia:
Comercial

Materiais predominantes:

Diferenciais técnicos:

Ambientes e Aplicações:

Slideshow

Ficha Técnica

Exibir mais itens
novidades fechar
Receba o boletim da
Galeria da Arquitetura
veja um exemplo