> > > Soul Café + Coworking

Soul Café + Coworking

Soul Café + Coworking
O arquiteto Pietro Terlizzi foi convidado para comandar o restauro de uma tradicional construção residencial, transformando-a em um empreendimento híbrido e descolado em Araraquara Foto/Imagem:Guilherme Pucci

Sobrado com novas funções


Um generoso sobrado de tijolinhos chama atenção de quem passa pelo bairro Jardim Primavera, região nobre da cidade de Araraquara, interior de São Paulo. Isso porque, em uma vizinhança predominantemente residencial, a construção que serviu de morada para uma família durante muitos anos recentemente deu lugar ao Soul Café + Coworking, empreendimento que abriga cafeteria, espaços de trabalho compartilhados e galerias de arte.

“O objetivo do projeto foi criar um ambiente com multifunções, aberto a diversos tipos de eventos e, principalmente, um local onde as pessoas pudessem trocar informações”, define Pietro Terlizzi, titular do escritório Pietro Terlizzi Arquitetura, escolhido para comandar a reforma.

O objetivo do projeto foi criar um ambiente com multifunções, aberto a diversos tipos de eventos e, principalmente, um local onde as pessoas pudessem trocar informações Pietro Terlizzi

Casa antiga, função nova

O ponto de partida e principal desafio do projeto foi a adaptação da casa para a sua nova finalidade, sem grandes mudanças estruturais. “Apoiamo-nos no conceito de restauro, sendo que quem vê a obra finalizada consegue distinguir o que é antigo e o que foi mudado/feito recentemente”, comenta Terlizzi.

Assim, de um lado estão características clássicas e tradicionais da antiga casa – tijolinhos, revestimento de pedras Goiás e muita madeira, nas esquadrias, forro e no piso do pavimento superior. Do outro lado, as tubulações são aparentes, as luminárias modernas e o mobiliário atual. “Seguindo a linha do contraste, as fachadas em tijolo aparente foram mantidas e mescladas com o logotipo da marca e toda a parte luminotécnica, dando ênfase necessária a um estabelecimento comercial”, frisa Pietro.

O programa original da edificação se mostrou muito eficiente em termos de iluminação e ventilação natural. Com muitas janelas e pés-direitos duplos, o espaço está sempre muito bem iluminado e fresco e não necessita de condicionadores de ar durante o dia. Além disso, os beirais generosos do telhado também ajudam a bloquear o sol dentro dos ambientes nos horários em que ele está mais baixo (começo da manhã e final da tarde).

Essencial em todas as obras, no Soul o conforto termoacústico era uma prioridade, visto que que Araraquara é muito quente, característica que lhe concedeu até o nome, que significa “morada do Sol” em tupi-guarani.

O térreo se transformou no café (Foto: Guilherme Pucci)

Quando a noite cai, os conduítes aparentes iluminam o pavimento térreo e os pendentes e spots fazem o serviço nas áreas de trabalho dedicadas ao coworking, na área superior. Para a conservação das paredes, toda a parte de elétrica e iluminação foi trabalhada com condutores aparentes.

Para o mobiliário, Pietro mesclou móveis que remetessem a uma residência – porém com cores atuais e vibrantes – com outros metálicos e de tecidos modernos. Essa linha ambígua pode ser sintetizada em um só móvel: o balcão da cafeteria, um dos principais elementos do projeto. Com rodapé em inox, a base é de revestimentos em azulejo subway branco e o tampo em madeira de demolição de peroba rosa.

Programa de um sobrado

A construção ocupa 450 m² de um terreno de 716 m². No programa original, o pavimento térreo abrigava sala de estar, de TV e de jantar, um lavabo, cozinha, dispensa e lavanderia. “Os ambientes já eram todos integrados na casa original, então mantivemos essa amplitude visual para termos um espaço generoso, convidativo e com uma grande flexibilidade de usos”, comenta o arquiteto.

Devido à extensão do layout, foi relativamente fácil inserir a cafeteria nessa área, que também conta com mesas com tomadas, iluminação e wi-fi – atributos que favorecem o uso do espaço para trabalho. Ainda no térreo, encontra-se uma sala para reuniões mais informais ou até mesmo para almoços e eventos em grupo.

No andar superior, existiam quatro quartos, sendo uma suíte. Esses espaços foram transformados nas salas de coworking – ambientes arejados e descontraídos, com janelas amplas, mobiliário corporativo e iluminação direcionada com pendentes e spots.

“A galeria de arte fica na parede mais extensa da edificação, localizada na entrada. O intuito é fomentar a cena artística da cidade de Araraquara e região”, explica Pietro. Na área externa arborizada, onde os clientes da cafeteria podem aproveitar o verde, também é possível realizar eventos e palestras. Ainda nesse local, um corredor coberto dá acesso à edícula dos fundos, onde há uma churrasqueira e forno de pizzas e um ambiente que serve também como área de descanso.

Próximo à piscina está o jardim, que recebeu pouquíssimas alterações. Como a casa faz um “U” ao seu redor, ele se destaca em todos os pontos. “Além disso, graças às grandes janelas e vãos da casa, mesmo nos ambientes fechados a natureza parece invadir o ambiente”, finaliza Pietro.

Veja outros projetos de coworking:

CO.W Coworking Space, do escritório B.Magalhães

Picoworking, do Estúdio Teçá

Four Coworking, do EFTM Arquitetura

Escritório

Pietro Terlizzi Arquitetura6 projeto(s)

Local: SP, Brasil
Início do projeto: 2018
Conclusão da obra: 2018
Área do terreno: 716
Área construída: 450

Tipo de obra:
Uso Misto
Tipologia:
Uso Misto

Materiais predominantes:

Diferenciais técnicos:

Ambientes e Aplicações:

Slideshow

Ficha Técnica

Exibir mais itens

Receba gratuitamente os Boletins e
Informativos da Galeria da Arquitetura.

(55 11) 3879-7777

Fale conosco Anuncie

Outros produtos da e-Construmarket

novidades fechar
Receba o boletim da
Galeria da Arquitetura
veja um exemplo