> > > Apartamento Acessível

Apartamento Acessível

Apartamento Acessível
No Apartamento Acessível, Marcelo Rosset atentou-se ao layout e ao mobiliário, que deveriam resolver às necessidades da cliente portadora de deficiência motora Foto/Imagem:Marco Antonio

Acessibilidade em pauta

No projeto de interiores do Apartamento Acessível, o arquiteto Marcelo Rosset tinha uma tarefa além da decoração. Tanto o layout quanto o mobiliário deveriam atender às necessidades da cliente portadora de deficiência motora, que mora com o marido e dois filhos. Então, mais que confortáveis e bonitos, os ambientes precisavam ser práticos.

Rosset tirou proveito dos 270 m² do apartamento e criou um fluxo de circulação com amplos corredores que favorecem a locomoção da moradora na cadeira de rodas. Além disso, largas portas facilitam a passagem, enquanto móveis baixos – e outros retráteis, como o sofá do estar – são dispostos num percurso fluido que não gera obstáculos.

Conforme descrito pela equipe do arquiteto, a extensa varanda do projeto original foi eliminada para se juntar à sala. A integração desses ambientes contribuiu, consequentemente, para aumentar a área de circulação do estar.

Rosset tirou proveito dos 270 m² do apartamento e criou um fluxo de circulação com amplos corredores que favorecem a locomoção da moradora na cadeira de rodas Foto: Marco Antonio

Outras adaptações de acessibilidade foram realizadas na área íntima do apartamento. No dormitório do casal, por exemplo, a cama suspensa permite que a cadeira de rodas se encaixe na parte inferior, possibilitando o deslocamento da moradora de maneira independente. Rosset também projetou um closet acessível, usando a parte de baixo dele, enquanto a superior ficou destinada ao marido.

Mas é no banheiro que surgem os maiores detalhes de um espaço com acessibilidade. A porta, que se abre para fora, possui diversas barras, as quais funcionam como apoio para as transferências. Já a cuba tem altura específica e o gabinete foi posicionado na lateral para o encaixe da cadeira de rodas. No chuveiro, ainda há um banco para auxiliar na hora do banho.

Linha industrial

Em relação ao design adotado para o Apartamento Acessível, Rosset se inspirou nos lofts nova-iorquinos conhecidos pela pegada industrial. Os ambientes íntimos receberam revestimento em tecnocimento (material que imita o cimentado), enquanto no estar todas as paredes foram revestidas com tijolos aparentes e o piso ganhou acabamento limestone cinza. Ainda assim, pendentes e luminárias, como as instaladas nas salas de jantar e de leitura, reforçam o estilo do projeto.

A madeira aparece em alguns pontos para ‘quebrar’ o clima industrial e dar mais aconchego aos ambientes. Na entrada, a porta ripada em madeira laqueada preta brilhante divide espaço com uma divisória iluminada também feita em madeira, só que de demolição. Foi nessa estrutura que Rosset posicionou a escultura suspensa do artista Luiz Hermano.

No estar, todas as paredes foram revestidas com tijolos aparentes e o piso ganhou acabamento limestone cinza Foto: Marco Antonio

Ao lado do corredor que conduz à área íntima fica o home theather – o espaço mais utilizado pela família. Por lá prevalecem as paredes com acabamento em tecnocimento e os painéis de madeira de demolição, que servem como divisória e dão privacidade à sala. Segundo Rosset, a solução foi minimizar o efeito do local de passagem.

Veja mais projetos diferenciados pela acessibilidade:

Retrofit da Unidade Jardins do Hospital Israelita Albert Einstein, por Betty Birger

Museu da Fotografia de Fortaleza, por Marcus Novais Arquitetura

Casa Tijolo, por B.Magalhães


Escritório

Marcelo Rosset Arquitetura3 projeto(s)

Local: SP, Brasil
Área construída: 270

Tipologia:
Residencial

Materiais predominantes:

Diferenciais técnicos:

Ambientes e Aplicações:

Slideshow Desenhos e plantas

Ficha Técnica

Exibir mais itens
novidades fechar
Receba o boletim da
Galeria da Arquitetura
veja um exemplo