> > > Colégio Renascença

Colégio Renascença

Colégio Renascença
Com projeto de Jonas Birger Arquitetos Associados, o Colégio Renascença ganhou uma nova unidade cuja perspectiva é se tornar polo pedagógico e cultural para a comunidade judaica Foto/Imagem:Edgar Nascimento

Novo lar para o saber

Onde antes estava localizado o antigo estacionamento do parque de diversões Playcenter, em São Paulo, hoje encontra-se o Colégio Renascença, uma instituição de ensino judaica que mistura tradição e modernidade. A autoria da arquitetura é do escritório paulista Jonas Birger Arquitetos Associados e alguns espaços foram projetados pela artista plástica Stela Barbieri.

O objetivo era obter uma relação com o ambiente que levasse em conta o aprendizado dos alunos, com suas singularidades. “Criamos ambientes harmônicos, respeitando as diferentes necessidades de aprendizagem”, relata o arquiteto Jonas Birger.

Identidade visual

Com a nova sede, a escola – que comemora 96 anos de história em 2018 – pretende contribuir para enriquecer os planejamentos e estratégias dos professores. A unidade terá cinco blocos com diferentes características. O prédio principal, por exemplo, aposta na interatividade, e contará com um estúdio de aprendizagem, com impressora 3D, videomaker, lousas digitais, iPads, ChromeBooks e ilha de robótica.

O conceito arquitetônico é de transparência, flexibilidade e transformação constante em função dos propósitos pedagógicos e da vida escolar. A intenção dos arquitetos e diretores era criar uma escola amável, aconchegante e participativa, para que estudantes, professores e outros colaboradores se sintam bem e motivados.

Distribuição dos ambientes

O mobiliário da escola é contemporâneo, leve e versátil, permitindo diferentes tipos de configurações, com cromatismo especialmente pensado para dialogar com os alunos.

O conceito do projeto envolve transparência, flexibilidade e transformação constante em função dos propósitos pedagógicos e da vida escolar Foto: Edgar Nascimento

O projeto conta também com uma sinagoga, que em breve deverá ser ampliada para a comunidade, possibilitando outros tipos de celebrações, como Bar Mitzvá e casamentos.

As áreas de lazer são bem amplas e diversificadas. Elas contam com um teatro com capacidade para 400 lugares, equipado com o que há de mais moderno tecnologicamente. Além disso, há quadras poliesportivas descobertas, ginásio poliesportivo e campo de futebol society. Uma garagem com 200 vagas atende alunos e a comunidade. Além de ser um polo educacional, a nova sede será um polo cultural para toda a comunidade judaica da cidade.

Sustentabilidade

O prédio conta com diversos recursos sustentáveis, como reúso de água a partir de um reservatório com capacidade para 10 mil litros, usados nas torneiras das áreas externas para irrigar o jardim e lavar os pátios. Além disso, o colégio também conta com painéis solares, que aquecem os chuveiros dos vestiários do ginásio. Eles têm capacidade de produção máxima de 180 kwh.

No projeto de iluminação, os arquitetos escolheram lâmpadas de LED que consomem três vezes menos energia do que as normais. Os vidros usados nas salas dos corredores permitem a entrada de iluminação natural e os brises trazem ventilação natural aos ambientes.

No projeto de paisagismo assinado por Rodrigo Oliveira, destaca-se um estilo tropical que envolve o terreno, esculpindo um cenário verde, de texturas e escalas que abraçam a arquitetura.


Fornecedores desta obra

Forro acústico

Owa Sonex

Escritório

Jonas Birger3 projeto(s)

Local: SP, Brasil
Início do projeto: 2016
Conclusão da obra: 2017
Área do terreno: 14.230
Área construída: 17.063

Tipo de obra:
Escolas

Materiais predominantes:

Diferenciais técnicos:

Ambientes e Aplicações:

Slideshow

Ficha Técnica

Exibir mais itens
novidades fechar
Receba o boletim da
Galeria da Arquitetura
veja um exemplo