> > > Edifício Jacarandá

Edifício Jacarandá

Edifício Jacarandá
Do arquiteto Carlos Bratke, o Jacarandá guarda um espaço interno grandioso, com vãos enormes e estruturais, e uma fachada lateral projetada sete metros para fora do edifício Foto/Imagem:Cacá Bratke

Design marcante

A partir de um terreno generoso, com mais de 5.800 metros quadrados, o arquiteto Carlos Bratke projetou um edifício de apenas seis pavimentos, mas com estrutura imponente, que facilmente se destaca no entorno da região da Berrini, em São Paulo. O Edifício Jacarandá é marcante porque sua arquitetura valoriza uma fachada robusta e envidraçada, ao mesmo tempo que valoriza um layout prático de ocupação.

“Exploramos uma solução com um núcleo central – elevadores, escadas e banheiros – abraçado pelo edifício e usado há muito tempo em prédios antigos. A vantagem é que você não fica restrito a uma forma quadrada”, explica o arquiteto.

Para segurar os grandes vãos de 25 metros, uma arrojada estrutura de concreto foi projetada pelo engenheiro Aluízio D'Ávila. “Os vãos possibilitaram um ambiente totalmente aberto e flexível, ideal para a criação de layouts livres e simples”.

O layout repete-se no subsolo do Edifício Jacarandá, marcado também por espaços enormes, desprovidos do apoio de pilares. Ao eliminar qualquer necessidade de pilar interno, a garagem ficou livre, sem aquele emaranhado de colunas que dificulta qualquer manobra no estacionamento.

Fachada envidraçada

“Sem dúvida, o aspecto mais especial do edifício é sua forma: o espaço interno grandioso, os vãos enormes e estruturais. Cada vez mais tenho projetado prédios de escritórios evitando colunas centrais, o que me proporciona qualidade ambiental”, opina Bratke.

Para realizar as grandes empenas de vidro laterais, o arquiteto precisou fazer uma parruda estrutura metálica, viabilizada pelo calculista Flávio D'Alembert. Ela se projeta sete metros para fora do edifício, como se fossem abas, marcando o design da fachada.

Edifício Jacarandá - Design marcante
A cor amarela está presente em algumas paredes e escadaria, destacando-se na composição arquitetônica Foto: Cacá Bratke

Programa

Desde a entrada, o Edifício Jacarandá mostra-se acessível e amigável. O acesso de pedestres é feito por um pórtico coberto, que protege das intempéries, e leva à grande recepção de pé-direito duplo com 10 metros. No total, o prédio oferece 12.172 metros quadrados de área, com lajes de 2.105 metros quadrados privativos e uma cobertura de 705 metros quadrados. O mezanino é ocupado pelo teatro/auditório, além de áreas de serviço do próprio prédio, administração, segurança, vestiários e sanitários. A garagem oferece 60 vagas por andar tipo e 33 para a cobertura. Ela também dispõe de bicicletário e vaga para caminhão/fretado.

Sustentabilidade

Com alto padrão tecnológico, o projeto dispõe de piso elevado, sistema de ar-condicionado VRF – Variable Refrigerant Flow –, eficiência energética, reúso de água e certificação Gold – US Green Building Council.

“Após ter conquistado o selo Gold, o Edifício Jacarandá concorre ao selo Platinum. Houve todo um acompanhamento de consultoria especializada em LEED, desde a escolha dos vidros da fachada, com tonalidade e absorção de calor voltadas ao conforto térmico e economia energética”, relata o arquiteto Carlos Bratke. Outra preocupação foi com relação ao reúso das águas cinzas e do sistema de ar-condicionado.

Parcerias

De acordo com Bratke, o projeto Edifício Jacarandá reuniu diversas equipes profissionais, que somaram qualidade ao resultado final. “A cor esverdeada/amarelada/acinzentada dos vidros da fachada foi escolhida após consulta feita à artista plástica Lúcia Kock, especializada em vidros. E a sugestão de consultá-la veio de um dos construtores – trata-se de um consórcio entre a Engeform e Bratke Collet”, lembra.

A arquiteta de interiores portuguesa Ana Costa foi responsável pela elaboração e escolha de materiais da portaria e do hall – balcão de recepção, catracas e halls de elevadores. “Além disso, também incorporamos a paisagista Isabel Duprat, que sugeriu o formato quadrado do espelho d'água desenhado por mim”, finaliza Bratke.

Escritório

Carlos Bratke Arquiteto2 projeto(s)

Local: SP,Brasil
Início do projeto: 2012
Conclusão da obra: 2015
Área do terreno: 5827
Área construída: 27927

Tipologia:
Corporativo

Materiais predominantes:

Diferenciais técnicos:

SlideshowDesenhos e plantas

Ficha Técnica

Exibir mais itens
novidades fechar
Receba o boletim da
Galeria da Arquitetura
veja um exemplo