> > > Universidade Federal do ABC - Campus São Bernardo do Campo

Universidade Federal do ABC - Campus São Bernardo do Campo

Universidade Federal do ABC - Campus São Bernardo do Campo
Concebido para acomodar adaptações futuras, o projeto arquitetônico da universidade tem elementos de sustentabilidade e racionalidade construtiva Foto/Imagem:Fernando Perelmutter

Campus da UFABC tem configuração flexível

O novo campus da Universidade Federal do ABC (UFABC), localizado em São Bernardo do Campo (SP), foi projetado pelo escritório Benno Perelmutter Arquitetura e Planejamento com uma configuração flexível. “A extensa área de 120 mil metros quadrados, na qual a universidade foi inserida, permite novas intervenções, já que partes expressivas do local permanecem livres”, comenta Marciel Peinado, arquiteto e sócio do escritório.

Predominantemente horizontais, todas as edificações do campus foram concebidas em planta livre, isto é, mediante solução estrutural independente das paredes divisórias e da fachada, o que possibilita mudanças de layout sempre que elas forem necessárias.

Entorno do terreno

A gleba está situada em tecido urbano já consolidado, entre a Via Anchieta (a oeste) e a Faculdade de Direito de São Paulo (a leste), portanto, em uma região valorizada.

Na porção sul, estava prevista a construção de um complexo viário pela Prefeitura do Município de São Bernardo do Campo, determinando a criação de grandes vias, assim como de um túnel, que atravessaria uma avenida próxima ao campus e interligaria os bairros. Entretanto, como não havia informações precisas e definitivas sobre a tramitação dessas obras, o projeto desenvolvido para o campus da UFABC definiu como acesso principal o prolongamento de uma das alamedas, a Avenida São Paulo.

“A adoção dessa medida estabelece a criação de uma grande praça de convivência, conformada pelo posicionamento geométrico de quatro blocos – salas de aula, laboratórios de pesquisas, refeitório e auditório/ biblioteca”, situa o arquiteto.

Outra particularidade do terreno é a presença de uma faixa reservada a um oleoduto em operação, que dividiu a instituição em duas partes.

Sustentabilidade e eficiência energética

A preocupação com o meio ambiente é uma marca do projeto arquitetônico desse campus da UFABC, colaborando para a redução do consumo de água e de energia elétrica.

Águas pluviais, muitas vezes captadas pelo solo permeável, são armazenadas e tratadas para reutilização, principalmente na irrigação de jardins e limpeza das bacias sanitárias, que por sua vez, são acopladas e possuem válvulas especiais, com fluxo opcional por descarga.

Além disso, a escolha por materiais com selo de certificação ambiental também atesta a característica sustentável do projeto. Segundo Peinado, é importante escolher materiais cujos processos de extração de matérias-primas, beneficiamento, produção, armazenamento e transporte causem o menor impacto na natureza.

A eficiência energética é obtida pelo máximo aproveitamento de luz e ventilação natural cruzada nos ambientes. Cooperam para o conforto térmico dos usuários elementos que controlam a incidência de radiação solar direta, como brise-soleil, painéis metálicos em elementos vazados, venezianas, telas perfuradas externas e vidros. Com isso, equipamentos de ar-condicionado puderam ser utilizados apenas em determinados espaços.

“Essas soluções arquitetônicas propiciam iluminação e ventilação naturais que, consequentemente, minimizam o uso de energia. Há pátios internos descobertos, grandes panos ventilados em elementos vazados e espelhos d’água adjacentes às edificações, garantindo o frescor nos ambientes”, explica Peinado.

Circulação e padronização construtiva

O campus, que comporta cerca de 2.000 alunos, 180 docentes e 60 funcionários, foi claramente setorizado e disposto racionalmente. Assim, enquanto o miolo central destina-se a conduzir o intenso fluxo de pedestres, o anel externo organiza os automóveis.

“Podemos destacar também a integração dos pavimentos térreos das diversas edificações com a praça central e as circulações adjacentes, gerando um importante polo de convivência universitária”, acrescenta o arquiteto.

Com relação à unidade plástica presente entre os prédios, Peinado explica o método matematicamente. “Todos os ambientes foram dimensionados e geometrizados mediante módulos planimétricos de 1,20 m x 1,20 m, a contar dos eixos de locação das paredes dos ambientes e dos demais elementos. Desse modo, os tamanhos de todos os espaços são múltiplos desse módulo comum – 1,44m², como acontece nos laboratórios de ensino e pesquisa, com módulos de 3,60m, múltiplos dos módulos de 1,20m”, finaliza.

Veja outros projetos de universidades:

 Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), escritório METRO Arquitetos Associados

Campus Cabral da Universidade Federal do Paraná, escritório A&P Arquitetura e Urbanismo

Faculdade de Direito de Ribeirão Preto, escritório Paulo Bruna Arquitetos


Escritório

Benno Perelmutter e Marciel Peinado Arquitetos2 projeto(s)

Local: SP, Brasil
Início do projeto: 2010
Conclusão da obra: 2014
Área do terreno: 120349
Área construída: 37553

Tipo de obra:
Universidades

Materiais predominantes:

Diferenciais técnicos:

Ambientes e Aplicações:

Slideshow

Ficha Técnica

Exibir mais itens
novidades fechar
Receba o boletim da
Galeria da Arquitetura
veja um exemplo