,
> > > Jardins externos

REFERÊNCIAS /

Jardins externos

Os jardins externos dão vida à edificação, seja ela residencial, comercial, corporativa ou até mesmo industrial. Hoje, jardim é muito mais do que um “gramado florido”. Local de contemplação e relaxamento, os jardins embelezam a fachada do empreendimento e podem ocupar de áreas de convivência empresariais a varandas de apartamentos.

Muitas vezes, a presença de um espaço verde colabora para a eficiência e a sustentabilidade de uma construção, regulando a temperatura do ambiente e absorvendo a água da chuva. Além disso, o jardim permite o reaproveitamento ecológico de materiais utilizados tanto no cultivo de plantas quanto na decoração, como garrafas pet e caixotes.

Construídos de acordo com um bom projeto de paisagismo, os jardins externos costumam dialogar com a arquitetura de forma harmoniosa. O projeto deve prever, além da vegetação, o tipo de piso, parede e iluminação, entre outros itens.

Espreguiçadeiras, namoradeiras e bancos feitos de materiais resistentes a intempéries, como fibra, plástico, corda ou ferro são móveis interessantes para compor o ambiente. Veja alguns jardins externos e inspire-se.

Escolha de plantas

Uma forte tendência dos jardins contemporâneos são as plantas que não exigem muitos cuidados, não precisam ser regadas frequentemente e se adaptam bem a mudanças climáticas. Cactos, azaleias, samambaias e palmeiras são as espécies preferidas de quem tem pouco tempo para cuidar do seu jardim externo.

Alguns paisagistas optam por misturar plantas nativas brasileiras a plantas exóticas de outros países, criando um jardim híbrido. A combinação de plantas ornamentais, árvores e flores também está em alta. As possibilidades são muitas e dependem do espaço disponível e do gosto do morador do imóvel. Leia mais sobre paisagismo nesta matéria.

Irrigação

Dependendo do tamanho do jardim externo ou do tempo que se tem para regar as plantas, a irrigação automatizada se faz necessária. Existem diversos modelos no mercado para controlar a rega.

Em projetos que valorizam a sustentabilidade ou que almejam certificações ambientais, a drenagem naturalística costuma ser a melhor opção. Trata-se de um sistema que retém águas pluviais por meio de mecanismos que aumentam o tempo de infiltração no terreno. Um exemplo são as lagoas biovaletas, que são depressões lineares com solo e vegetação e funcionam como um filtro, limpando a água da chuva e aumentando o tempo de escoamento.

Jardim vertical

Os jardins externos verticais são perfeitos para espaços pequenos. Podem ser projetados na varanda de um apartamento, por exemplo, sendo necessária apenas uma parede, que servirá de base para as plantas. As folhagens – samambaias, peperômias, bromélias, columeias, entre outras – podem cobrir um muro ou painel de madeira de demolição, ou serem plantadas em pequenos vasos ou caixotes fixados na parede, formando um jardim suspenso.

O jardim vertical é usado, ainda, como solução para tampar a construção vizinha. Para que o jardim ganhe status de obra de arte, as laterais podem ser enfeitadas com tijolinhos à vista ou ladrilhos coloridos.

Leia também: Jardins internos e Jardins verticais

novidades fechar
Receba o boletim da
Galeria da Arquitetura
veja um exemplo