> > > Casa Julieta

Casa Julieta

Casa Julieta
A Casa Julieta foi construída com recursos sustentáveis, acessíveis e eficientes que trouxeram leveza e luminosidade à morada. O projeto é assinado pelo escritório Steck Arquitetura Foto/Imagem:Adriano Pacelli

Lar sustentável e delicado

Os vastos campos de cana de açúcar da cidade de Piracicaba, interior de São Paulo, são o pano de fundo da Casa Julieta, que teve seu projeto arquitetônico assinado pelo escritório Steck Arquitetura. Construída num terreno de esquina com 1.099 m², a morada se abre para a paisagem conforme os quatro pontos cardinais.

O teto inclinado e curvo da área social chama a atenção de quem se aproxima. A cobertura, que tem um generoso balanço de 3 metros, foi escolhida para ampliar e transmitir mais aconchego aos ambientes. O concreto aditivado ganhou leveza através de lajes inclinadas e minimamente curvas, que auxiliam na impermeabilização e transmitem delicadeza na paisagem de maneira livre e solta.

Programa transparente

O programa da Casa Julieta foi organizado em 644 m² e distribuído em três pavimentos. No térreo estão concentradas todas as áreas sociais, como salas de estar e jantar, cozinha e lazer. Dormitórios e banheiros ficaram no pavimento superior, e o setor de serviços (garagem, depósito e equipamentos de manutenção) encontra-se no andar inferior.

As esquinas da residência são livres e transparentes, revestidas por vido duplo, e permitem a abundante entrada de iluminação natural por todos os espaços. Já a circulação interna e o percurso íntimo foram protegidos para a privacidade dos moradores. “Projetamos também alguns vãos envidraçados, frestas e rasgos nas lajes, estrategicamente posicionados para entrar claridade durante o dia ou para apreciar a lua à noite”, conta a arquiteta Maria Jocelei Steck.

Piscina

Os pergolados da piscina oferecem sombreamento e descanso. Além disso, os blocos formam pequenos pátios internos com diferentes patamares até chegar na raia principal de natação Foto: Adriano Pacelli

O projeto da piscina recebeu uma atenção maior devido ao clima tropical da região. De um lado estão os pergolados para sombreamento e descanso, amenizando o calor conforme o horário e estações do ano, e do outro lado ficou a região mais exposta ao sol, um deck com prainha.

Alguns degraus foram projetados como se estivessem saindo do terraço e indo em direção à piscina, alcançando-a em todos os níveis e permitindo caminhar por um percurso dentro d’água. Os blocos formam pequenos pátios internos com diferentes patamares até chegar na raia principal.

Sustentabilidade

A sustentabilidade está presente por meio de coletores solares para aquecimento de água, painéis fotovoltaicos para geração de energia elétrica, sistema de captação de água da chuva para irrigação do jardim, grandes beirais e lajes jardins para maior conforto térmico em algumas coberturas, vidros duplos para eficiência termoacústico e brises com aletas móveis que controlam insolação e ventilação. A casa também tem um elevador para acessibilidade.

Pergolados, terraços, salas, copa, varanda com churrasqueira são os espaços que podem ser fechados ou totalmente abertos por grandes caixilhos de vidro duplo e painéis que se recolhem possibilitando integração total ou espaços de transição.

Veja outros projetos residenciais na Galeria da Arquitetura:

Casa ML, por Plareng

Casa de Hóspedes em Paraty, por CRU! architects

Casa VN, por Guillem Carrera Arquitecte


Escritório

Steck Arquitetura5 projeto(s)

Local: SP, Brasil
Início do projeto: 2016
Conclusão da obra: 2019
Área do terreno: 1099
Área construída: 644

Tipo de obra:
Residência
Tipologia:
Residencial

Materiais predominantes:

Diferenciais técnicos:

Ambientes e Aplicações:

Slideshow

Ficha Técnica

Exibir mais itens
novidades fechar
Receba o boletim da
Galeria da Arquitetura
veja um exemplo