> > > Hangar Business Park

Hangar Business Park

Hangar Business Park
O Hangar Business Park é um mixed use Triple A concebido e avaliado de acordo com os critérios necessários à certificação com selo de eficiência energética PROCEL-EDIFICA e INMETRO. O primeiro na categoria existente no Norte e Nordeste brasileiro Foto/Imagem:Tarso Figueira

Máxima eficiência e qualidade



De forma inovadora, arquitetura e paisagismo andam lado a lado no empreendimento Hangar, em Salvador, Bahia, projetado pelo escritório Caramelo Arquitetos Associados e pela construtora Odebrecht Realizações Imobiliárias. “Implementamos o conceito business park, no qual esses elementos foram planejados para favorecer a interação entre empresas e clientes, permitindo a formação de uma rede de serviços e soluções para facilitar o dia a dia dos usuários e visitantes com todo conforto e segurança necessários”, explica o arquiteto e autor Antônio Caramelo.

Outro fator fundamental na concepção do mixed use é a proximidade com o aeroporto Internacional de Salvador. Ele influenciou desde o nome com o qual foi batizado, até o número de pavimentos, por estar dentro do cone de aproximação das aeronaves. “Exemplo disso é a passarela de pedestres que leva até o interior do complexo através do green mall, na entrada principal. Com, aproximadamente, 50 metros de extensão, a estrutura é ornamentada por um pórtico metálico com vidro, remetendo a uma asa delta, que parece pousar em um hangar”, descreve Antônio.


Sustentabilidade


O Hangar Business Park foi concebido e avaliado de acordo com os critérios necessários à certificação com selo de eficiência energética PROCEL-EDIFICA e INMETRO, tendo recebido após todas as fases a etiqueta Triple A, a primeira do Norte/Nordeste brasileiro em sua categoria. O empreendimento conquistou sete selos e 17 etiquetas, em um total de 23 certificações, que ratificam sua eficiência energética. Em todo o país somente 81 edificações possuem os selos do Procel Edificações.

Buscamos a racionalidade visando a sustentabilidade com o melhor aproveitamento da luz natural, o que permite uma menor necessidade de iluminação artificial. Antônio Caramelo

Medidas como ampla penetração de luz natural, uso de lâmpadas LED e lâmpadas de indução magnética; uso de porcelanato ecológico e adoção de controle de tráfego inteligente nos elevadores de áreas comuns fazem parte do complexo. O empreendimento também utiliza a energia solar para o aquecimento da água e sistemas que racionalizam o uso dos recursos hídricos.


“Buscamos a racionalidade visando a sustentabilidade com o melhor aproveitamento da luz natural, o que permite uma menor necessidade de iluminação artificial. As lâmpadas PL e dicroicas LED, mais eficientes quando comparadas às convencionais, propiciaram uma economia de energia em torno de 56% a 80% respectivamente”, relata Antônio Caramelo. Estas soluções contribuíram para conquista do selo nível “A” pela consultoria do setor de eficiência energética da Coelba/Neoenergia.


Tanto no projeto quanto na obra concluída foram avaliados a envoltória (fachadas e cobertura), a iluminação e o sistema de ar condicionado VRV III, além da captação e do tratamento de águas pluviais e seu posterior reúso, controle inteligente de tráfego para elevadores, entre outros.


Infraestrutura de cidade


Com 28 mil m² de área, o complexo possui dois hotéis, duas torres comerciais e cinco torres de escritórios, com salas que vão de 33 m² a 845 m², integrados a um Green Mall, que oferece infraestrutura de 50 pontos comerciais com mix variado de lojas e serviços, auditório, praça de alimentação, espaço fitness, bancos e restaurantes. As edificações são privilegiadas pela transparência e pelo espelhamento. Livres das alvenarias, elas permitem a contemplação do horizonte.


O arquiteto revela que a disposição dos prédios configura uma grande praça de lazer e gastronomia na área central. “Isso lembra os grandes atributos dos mosteiros, tão agradáveis pelo microclima que produzem, enriquecidos por muito verde, espelhos d’água, praças menores e complementares para meditação, leitura, contemplação e networking”. Assim, as nove torres estão integradas por um mall service, que permeia outros ambientes do complexo, possibilitando aos usuários circular entre os espaços sem estarem expostos aos contratempos, intempéries e insegurança das ruas.


Tudo isso proporciona maior qualidade de vida no ambiente de trabalho. “A generosa área de uso comum é pontilhada de obras de arte e projeto paisagístico com flora exuberante e espelhos d´água. São amplos espaços arborizados, com zonas wireless que possibilitam o trabalho em meio a cenários bucólicos – marca essencial do conceito campus corporativo”, conta Antônio.


Hangar Business Park - Máxima eficiência e qualidade
Com 28 mil m² de área, o complexo possui dois hotéis (Ibis e Novotel), duas torres comerciais e cinco torres de escritórios, com salas que vão de 33 m² a 845 m², integrados a um Green Mall Foto: Tarso Figueira

Excelência no sistema construtivo


Versátil, o projeto tem método construtivo que favorece a multiplicidade nas combinações modulares, economia de insumos, redução nas perdas e na produção de resíduos. Trata-se de um sistema de malha estrutural, de 8 x 8 m, que atende a criação de pavimentos únicos com o mínimo de pilares internos. “Isso flexibiliza o espaço para implantação de grandes corporações empresariais. Com ele é possível redefinir o ambiente de acordo com as necessidades”, detalha Antônio Caramelo.


A volumetria, distribuída horizontalmente em torres com oito e nove pavimentos, atende à altura exigida pelas normas de segurança. As fachadas dos prédios com vidro Ray-Ban são marcadas por linhas horizontais, que permitem ver a paisagem, valorizam a transparência, a reflexão, o espelhamento e o brilho. Já os guarda-corpos revestidos de alumínio composto no tom de verde metalizado foram protegidos por brise dotado de duas funções: quebra sol e marquise, para facilitar a limpeza externa dos prédios.


Materiais modernos


Materiais como vidro, alumínio e concreto – e a estrutura exposta – conferem um ar moderno ao projeto. No revestimento da fachada ventilada, o uso de alumínio composto e vidros especiais com controle de radiação solar oferecem economia e sustentabilidade. Em conjunto, os materiais agregam um duplo benefício: reduzir a carga térmica e consumir menos energia elétrica.


Mesmo sem ter grande relevância em relação a outros materiais, a pouca madeira utilizada tem procedência de área reflorestada. Nos acabamentos também foi adotado o porcelanato ecológico reciclado com base no conceito de reaproveitamento com moagem úmida.


Acessibilidade


O acesso, bem como a relação do Hangar com o sistema viário do entorno, tem projeto feito para otimizar o tráfego e evitar engarrafamentos. Entre as alternativas, há parada de ônibus coletivo em nível pela via principal. O acesso de veículos é feito em desnível sob a via principal e por via marginal rebaixada sob pontilhão para pedestres. Antônio Caramelo explica que a intenção é não sobrecarregar o sistema da rotatória existente nas proximidades com grande tráfego instalado. “Por isso tornamos seu acesso amigável aos usuários através da qualificação dos materiais de pavimentação (piso), posicionamento correto de balizas, adequação de corrimãos, implantação de gradis transparentes e resistentes, sinalização visual e acessibilidade aos equipamentos”. Com isso o impacto sobre a vizinhança é menor, sobretudo no que diz respeito ao trânsito.


Premiações nacionais e internacionais


Com o projeto, a Caramelo Arquitetos Associados venceu o Prêmio ADEMI-BA 2011, no qual conquistou o título de Arquiteto do Ano, e o Prêmio ADEMI 2014 nas categorias Gestão Sustentável e Empreendimento acima de 15 mil m². O empreendimento também foi premiado com o Best Office Architecture Brazil, no Americas Property Awards 2012, e foi selecionado para a exposição internacional "100 Architects of the Year", organizada pela União Internacional dos Arquitetos (UIA). A mostra já passou pela China e Coreia do Sul.


Escritório

Caramelo Arquitetos7 projeto(s)

Local: BA, Brasil
Início do projeto: 2011
Conclusão da obra: 2013
Área do terreno: 28.000
Área construída: 147.000

Tipo de obra:
Uso Misto
Tipologia:
Uso Misto

Materiais predominantes:

Diferenciais técnicos:

Slideshow

Ficha Técnica

Exibir mais itens

APROFUNDAMENTO TÉCNICO

novidades fechar
Receba o boletim da
Galeria da Arquitetura
veja um exemplo