> > > Casa Mororó

Casa Mororó

Casa Mororó
Com implantação simples, residência em forma de galpão se insere na natureza com elegância Foto/Imagem:Fernando Guerra

Um presente à mata

A Casa Mororó está envolta por um gracioso bosque de pinheiros e foi instalada propositalmente na parte mais baixa do terreno acidentado. Sua localização permite que ela esteja protegida dos ventos e que seja praticamente parte da natureza – principalmente quando vista do topo. O projeto da morada, idealizado pelo escritório de arquitetura studio mk27, foi pensado para tornar a construção rápida e econômica.

De acordo com Diana Radomysler – uma das arquitetas responsáveis pelo projeto arquitetônico desenvolvido em parceria com Marcio Kogan e Maria Cristina Motta –, optou-se por elementos pré-fabricados por conta do difícil acesso ao terreno, localizado em uma região fria e montanhosa de Campos do Jordão (SP). “Pensamos em soluções construtivas e industrializadas – como as paredes de steelframe e a estrutura – que fossem como um Lego: todas produzidas em São Paulo e só montadas no local. Utilizamos também estruturas de ferro com fechamento em chapa ondulada e reduzimos o tempo de construção sem muitos elementos feitos in loco”, explica. Diana também destaca a praticidade das soluções pré-fabricadas, que mantiveram o local sempre limpo apesar do alto índice de chuvas.

Integração grandiosa

Uma das premissas do projeto arquitetônico, por conta das baixas temperaturas da região, era a criação de grandes espaços internos para manter os moradores aquecidos. A caixa branca – que abriga a sala, a cozinha e os dormitórios – recebe um prolongamento contínuo e transparente. “A Casa Mororó tem a forma de um amplo e comprido galpão revestido de chapa por fora e madeira por dentro, com um balneário totalmente fechado em vidro que abriga a piscina aquecida, uma sauna e uma sala pequena. A transparência integra a casa com o entorno, proporcionando a vista externa”, detalha Radomysler.

Com os telhados em água, e seus 65 m de extensão, a casa possui volumetria única. “Além dos generosos e contínuos espaços do interior, as áreas importantes e centrais da rotina dos moradores também definiram o plano arquitetônico”, completa. Outro destaque é o solário que se projeta ao redor, a partir do deck de madeira externo que conecta os espaços.

Eficiência energética

Em sua parte opaca, a residência recebeu portas de correr em aberturas minimizadas para acentuar a integração com o bosque e a entrada de ar. A arquiteta ressalta a relação entre cheios e vazios na fachada. “Isso auxiliou muito no conforto térmico da casa – junto à posição dela no terreno. Tínhamos a preocupação de obter excelente desempenho na conservação energética e na entrada de ventilação interna”.

No ambiente transparente da piscina, de 14m de comprimento, evita-se a condensação do vapor no vidro com uma estrutura de ventilação interna especial.

Madeira predominante e soluções em destaque

“A não existência de um forro de gesso baixo na maior parte da casa exigiu soluções criativas, como as sancas laterais na madeira ou a iluminação indireta nas terças do telhado”, conta Radomysler.

A madeira é o material predominante. Além de levar aconchego aos ambientes, compõe as portas pivotantes que se abrem totalmente, integrando a cozinha aos outros cômodos. Outros materiais, como as pedras de ardósia marrom, e as telhas metálicas onduladas, também merecem destaque.

 


Escritório

studio mk2740 projeto(s)

Local: SP, Brasil
Início do projeto: 2011
Conclusão da obra: 2015
Área do terreno: 17.800
Área construída: 730

Tipo de obra:
Residência
Tipologia:
Residencial

Materiais predominantes:

Diferenciais técnicos:

Ambientes e Aplicações:

Slideshow Desenhos e plantas

Ficha Técnica

novidades fechar
Receba o boletim da
Galeria da Arquitetura
veja um exemplo