> > > Casa Azul

Casa Azul

Casa Azul
O arquiteto Bruno Levy projetou a Casa Azul para seu irmão e cunhada. Econômica, bem iluminada e integrada, a residência é puro conforto Foto/Imagem:Manuel Sá

Um lar especial

Para o arquiteto Bruno Levy, a Casa Azul foi um trabalho mais que especial. Projetada para seu irmão e sua cunhada – um jovem casal sem filhos e recém-chegado ao Brasil após uma temporada na Austrália – a residência deveria ser ampla, bem iluminada e com espaços funcionais e integrados. “Eles solicitaram uma obra rápida, eficiente e econômica, mas que não abrisse mão da qualidade estética”, revela o autor.

Estrutura metálica

O primeiro passo para a construção da Casa Azul foi a escolha da técnica construtiva, que deveria garantir uma obra rápida e econômica. Sendo assim, optou-se pela estrutura metálica com lajes painéis, por sua agilidade e praticidade no processo projetual. A partir dessas características, foram analisadas diferentes plantas e soluções de ocupação, já que o lote que recebeu o projeto era um amplo e plano jardim de fundos de uma casa vizinha.

A estrutura metálica, com vigas e pilares soldados, foi montada em 25 dias, e complementada por lajes painéis com enchimento em EPS. As alvenarias e o concreto moldado in loco foram utilizados de maneira criteriosa para finalizar alguns detalhes. Quase não foram utilizadas formas de madeira nesse projeto. “A marcenaria foi projetada pelos moradores, que optaram pelo uso de compensado de virola, revestimentos em laminado melamínico e laminados de madeira”, explica o arquiteto

A bela e vibrante escada em estrutura metálica azul foi inserida no centro da residência, dividindo de forma sutil a sala de estar da sala de jantar Foto: Manuel Sá

Mas não há como negar que o destaque e todas as atenções são voltadas para a bela escada em estrutura metálica azul que foi inserida no centro do volume da residência, dividindo de forma sutil a sala de estar da sala de jantar. Na parte central da planta, ela conecta o térreo ao pavimento superior – onde está a área intima – e ao solário, localizado na cobertura.

Outros itens econômicos foram bem aproveitados na construção, como massa desempenada com pintura branca nas alvenarias, alumínio preto nas esquadrias, concreto nos pisos internos e lajes aparentes. Mesmo pouco utilizada, a madeira apareceu no mobiliário, nas portas e nas pisadas da escada.

A etapa final da concepção consistiu na escolha dos materiais, e cada acabamento deveria cumprir seu papel sem abrir mão da beleza. “O conceito foi baseado na busca das necessidades dos moradores através da técnica construtiva adequada, assim como na adoção de materiais que privilegiassem eficiência e estética”, completa.

Programa residencial

O programa da Casa Azul foi organizado em 222,23 m². Garagem, setor de serviço e cozinha encontram-se no volume existente do terreno. Já as áreas de convivência foram voltadas para o jardim em “L” na lateral e fundos do lote. O pé-direito duplo da sala de estar garante maior amplitude e integração com esse jardim.

Os vidros que rodeiam a casa promovem iluminação natural abundante por todos os ambientes.

Para o projeto de interiores da casa, foram usados objetos de viagem colecionados ao longo dos anos pelos moradores e que possuem grande valor pessoal. Há também uma coleção de obras de arte japonesa que permeia as salas de estar, jantar e TV, contando com artistas como Manabu Mabe, Tikashi Fukushima, Yutaka Toyota e Kichizaemon Takahashi.

“Os moradores ficaram satisfeitos e a casa ficou exatamente de acordo com o projeto. A arquitetura é genuína e não simula estilos, reflete esforço técnico, coerência e criatividade”, conclui o arquiteto.


Escritório

Bruno Levy1 projeto(s)

Local: SP, Brasil
Início do projeto: 2014
Conclusão da obra: 2015
Área do terreno: 257
Área construída: 222

Tipo de obra:
Residência
Tipologia:
Residencial

Materiais predominantes:

Diferenciais técnicos:

Ambientes e Aplicações:

Slideshow

Ficha Técnica

Exibir mais itens
novidades fechar
Receba o boletim da
Galeria da Arquitetura
veja um exemplo