> > > Casa na Praia do Prumirim

Casa na Praia do Prumirim

Casa na Praia do Prumirim
A Casa na Praia do Prumirim foi construída em meio à Mata Atlântica. De forma econômica e sem prejudicar o terreno natural, o escritório brro arquitetos criou um projeto simples e envolvente Foto/Imagem:André Scarpa

Pouso na mata

Inserida numa área arborizada da Praia do Prumirim, em Ubatuba (SP), esta residência projetada pelo escritório brro arquitetos é envolvida por uma vegetação densa e alta da Mata Atlântica. Localizada bem próxima ao mar, ela pousa suavemente sobre o lote sem interferir no entorno e revela uma verdadeira fusão entre arquitetura e natureza.

A Casa na Praia do Prumirim – como foi batizada – tem uma estrutura aconchegante e singela. Devido às suas grandes aberturas, quando vista de longe, parece uma cabana que se abre para a mata.

O arquiteto responsável pelo projeto, Bruno Rossi, conta que uma das dificuldades foi alcançar a menor implantação possível dentro da mata densa. “Os limites da prefeitura e dos órgãos de preservação permitem o desmatamento de apenas 30% do lote, que não tem grandes dimensões. Para resolver esta questão, tivemos que compactar bastante o corpo da residência e estabelecer aberturas e pés-direitos para ter a amplitude necessária”, explica.

Construção econômica

Os moradores queriam, num primeiro momento, um recanto para os finais de semana e pequenas temporadas na praia, mas que também pudesse ser o abrigo para uma eventual aposentadoria. Desejavam a praticidade e a baixa manutenção de uma casa de veraneio e ao mesmo tempo que fosse completa para uma futura moradia permanente.

A Casa na Praia do Prumirim precisava ser bastante compacta, já que se encontra no meio da Mata Atlântica. Por isso, se imaginou uma cobertura comum que abrigasse os programas inferiores e superiores numa ala mais consistente e que pudesse ter uma área com boa iluminação e pé-direito nos espaços comuns e de convivência.

Com a ajuda da ITA Construtora, foi feita uma estrutura em madeira laminada superleve para esta cobertura – preparada em fábrica e montada no canteiro de obra –, que por sua vez se apoia no bloco compartimentado de tijolos maciços e concreto. “Desta maneira, temos o conforto térmico necessário e a construção do imaginário de uma casa de praia, através dos materiais”, comenta Rossi.

A grandes aberturas permitem a entrada de iluminação natural durante o dia, e os pés-direitos marcam todos os ambientes da residência Foto: André Scarpa

Materiais aparentes

Os sistemas de elétrica e de iluminação são externos e aparentes. Nas eletrocalhas, foram fixados os suportes para luminárias que, no andar de baixo, liberam uma luz direta e focada para o chão e, no andar de cima, clareiam o teto branco que reflete uma luminosidade difusa e comum para o projeto.

O diferencial desta casa é justamente o espaço de integração e interação dentro de uma área com dimensão pequena, onde há iluminação natural e ventilação permanente. “Economia de materiais e racionalização dos sistemas estruturais e de instalações promoveram as grandes aberturas de luz e ventilação através de brises e de venezianas”, frisa o arquiteto.

A fachada do bloco dos dormitórios tem uma inércia térmica maior para protegê-los, uma vez que são de parede dupla de tijolo maciço. A abertura total de vidro, na face oposta, é mais protegida para a mata mais alta e tem uma tela metálica para preservar dos raios solares, liberando as aberturas em toda a extensão do andar inferior.

Projeto de interiores

O projeto de interiores seguiu bem alinhado com o de arquitetura e priorizou aspectos rústicos dos materiais aparentes, trazendo a madeira como elemento principal. Ao mesmo tempo, privilegiou os espaços de convivência, com a flexibilidade de peças que pudessem ser usadas em diversas situações, dentro e fora da Casa na Praia do Prumirim.

No térreo criou-se um programa completo para uma casa pequena, com uma suíte. Já no andar superior foram construídos outros dois dormitórios com dois banheiros externos. No bloco mais compartimentado está a parte funcional da cozinha e, embaixo dos banheiros superiores, estão os blocos hidráulicos. Assim, todos os demais programas foram abertos e integrados por janelas que se abrem, criando na casa uma grande varanda coberta e ligada diretamente à mata.

“O projeto paisagismo foi feito com os trabalhadores locais, sem um projeto formal e aproveitando as espécies nativas do local”, conclui Rossi.

Veja mais casas de praia na Galeria da Arquitetura:

Residência em Ubatuba, por Nitsche Arquitetos

Residência Praia do Félix, por Vidal & Sant'Anna Arquitetura

TM House, por Studio Arthur Casas


Escritório

brro arquitetos3 projeto(s)

Local: SP, Brasil
Início do projeto: 2015
Conclusão da obra: 2017
Área do terreno: 525
Área construída: 190

Tipo de obra:
Residência
Tipologia:
Residencial

Materiais predominantes:

Diferenciais técnicos:

Ambientes e Aplicações:

Slideshow Desenhos e plantas

Ficha Técnica

Exibir mais itens
novidades fechar
Receba o boletim da
Galeria da Arquitetura
veja um exemplo