> > > Biblioteca de Alexandria

Biblioteca de Alexandria

Biblioteca de Alexandria
Revitalizada pelo escritório Snøhetta, a Biblioteca de Alexandria carrega memórias da cidade fundada em 331 a.C., mas agora com um projeto moderno e convidativo para toda a população Foto/Imagem:Gerald Zugmann

História viva

Uma competição internacional anônima foi realizada em 1989 para escolher o escritório que iria criar o design da Biblioteca de Alexandria, no Egito. Vencedor, o norueguês Snøhetta concluiu o projeto em 2001.

O objetivo da construção era estimular os moradores da cidade – fundada por Alexandre, o Grande em 331 a.C. – a frequentar a antiga biblioteca. Os arquitetos trouxeram um estilo contemporâneo, atemporal e inovador, sem perder a essência histórica do lugar. Assim, a obra contribui de forma significativa com estudantes, pesquisadores e público em geral.

Novo ícone

O projeto caracteriza-se por sua forma circular e inclinada, localizada ao lado do porto, no centro histórico da cidade. Seu teto inclinado lembra o antigo farol de Alexandria.

O edifício tem 160 metros de diâmetro e atinge até 32 metros de altura, além de ter cerca de 12 metros subterrâneos. Uma praça aberta e uma piscina rodeiam o prédio. Uma passarela liga o projeto à Universidade de Alexandria, que fica nas proximidades.

Biblioteca de Alexandria - História viva
A biblioteca tem capacidade para armazenar até quatro milhões de livros e pode ser expandida para até oito milhões pelo armazenamento digital Foto: Gerald Zugmann

A biblioteca conta com 11 andares e tem capacidade para armazenar até quatro milhões de livros, podendo ser expandida para até oito milhões pelo armazenamento digital. A obra também contém outras funções culturais e educacionais, incluindo um planetário, vários museus, uma escola de ciência da informação e instalações de conservação.

A sala de leitura tem capacidade para receber até 2000 leitores em um espaço de 20 mil m², sendo a maior do gênero em todo o mundo. Ela ocupa mais da metade do volume da biblioteca e passa por sete terraços.

As esculturas e desenhos que se encontram no local foram feitas em colaboração com os artistas Jorunn Sannes e Kristian Blystad e empregaram métodos locais de corte de pedra para criar a fachada.

Luz com precisão

O projeto é iluminado por claraboias verticais localizadas no telhado. Apenas o lugar onde estão armazenados os volumes não terá exposição da luz solar para não estragar livros e manuscritos.

A biblioteca também conta com um anfiteatro com diferentes espaços de leitura, harmoniosamente iluminados. O edifício foi planejado para aceitar uma série de tecnologias, seguindo as mudanças do futuro.


Escritório

Snøhetta20 projeto(s)

Local: AL, Egito
Início do projeto: 1989
Conclusão da obra: 2001
Área do terreno: 80.000

Tipo de obra:
Bibliotecas

Materiais predominantes:

Diferenciais técnicos:

Ambientes e Aplicações:

Slideshow
novidades fechar
Receba o boletim da
Galeria da Arquitetura
veja um exemplo