> > > Fundação Casa de Rui Barbosa

Fundação Casa de Rui Barbosa

Fundação Casa de Rui Barbosa
Fundação abriga de forma segura acervos e documentos importantes, dialoga com a cidade, e oferece espaços que integram funcionários, pesquisadores e visitantes Foto/Imagem:Estúdio 41 – Divulgação

Memória em segurança

Para preservar e divulgar o legado de Rui Barbosa, um espaço foi criado no Rio de Janeiro com laboratórios técnicos que abrigam acervos bibliográficos e documentos para estudos e pesquisas. O projeto, idealizado pelo escritório Estúdio 41 Arquitetura, teve como premissa garantir a satisfação total das pessoas em um ambiente público: conforto, segurança, espaços para interação social e atividades da vida cotidiana.

De acordo com João Gabriel Rosa, um dos arquitetos responsáveis pelo projeto, a mescla de atividades e usuários garante vitalidade à Fundação. Pesquisadores, funcionários e estudantes dividem o espaço com os vizinhos que utilizam seus jardins como áreas de descanso e lazer. “A grande qualidade desse projeto é a sua relação com o entorno e com a rua. Conseguimos manipular todas as dificuldades para chegar a um resultado que dialoga bem com a cidade, assim como a volumetria respeitosa ao entorno e a escala da rua. São soluções de partido que naturalmente se sustentaram com o desenvolvimento do projeto”, explica.

O primeiro volume do edifício é configurado por uma caixa suspensa. “Nele se localizam os acervos de obras raras, acervo textual, os laboratórios e as mídias em geral”, destaca o arquiteto Emerson Vidigal, também autor do projeto. O térreo e os dois subsolos encontram-se no segundo volume, abrigando os acervos bibliográficos. De acordo com Emerson, esse volume também organiza a área de instalações mecânicas e os espaços técnicos. O terceiro volume recebe a sala de exposições, com espaços flexíveis de curadoria e iluminação zenital.

Soluções e materiais

O concreto armado é o material predominante do edifício. A sala de exposições e a escada fixada na lateral são constituídas de leve estrutura metálica. “O concreto usado é uma solução natural para edifícios de acervo, que devem ser bem protegidos em sua vedação. No nível da rua utilizamos um painel de madeira ripada, tanto no edifício do acervo quanto no pavilhão de exposições”, destaca João.

Para garantir bom desempenho energético-ambiental – visando a preservação do acervo – foram elaborados estudos de sensibilidade realizados com recurso para as ferramentas mais recentes de simulação energética dinâmica, de acordo com os critérios e padrões de qualidade estabelecidos pela ASHRAE - American Society of Heating, Refrigerating and Air Conditioning Engineers.

 


Escritório

Estúdio 4114 projeto(s)

Local: RJ, Brasil
Área do terreno: 978
Área construída: 2.145

Tipo de obra:
Centros Culturais

Materiais predominantes:

Diferenciais técnicos:

Slideshow

Ficha Técnica

  • Arquitetura:
  • Arquitetura: Estúdio 41
  • Arquitetura: Estúdio 41 - Autores: Dario Corrêa Durce (Estúdio 41), Emerson Vidigal (Estúdio 41), Eron Costin (Estúdio 41), Fabio Henrique Faria (Estúdio 41), João Gabriel Moura Rosa Cordeiro (Estúdio 41), Moacir Zancopé Jr. (Estúdio 41) / Consultores: Afa Consultant (Portugal) / Colaboradores: Alexandre Kenji, Felipe Santos, Fernando Moleta, Marcelo Miotto, Martin Goic
  • Engenharia Estrutural - Estrutura de Concreto: Afa Consult
  • Projeto de Climatização e Ar-condicionado: Afa Consult
  • Projeto de Controle e Automação: Afa Consult
  • Projeto de Fundação: Afa Consult
Exibir mais itens
novidades fechar
Receba o boletim da
Galeria da Arquitetura
veja um exemplo