Galeria da Arquitetura

Um jeito diferente de ver o mundo da arquitetura.

Ópera House, símbolo de Sidney, tornou-se neutra na emissão de carbono

A Ópera House foi concebida pelo arquiteto dinamarquês Jørn Utzon (foto: Andy Copeland/shutterstock)

Texto: Lucas Barbosa

28/09/2018 | 14:20 – Cartão postal da cidade de Sydney, na Austrália, a casa de espetáculos Ópera House reduziu o seu consumo total de energia em 14%, por meio de projetos de eficiência energética. O feito foi reconhecido pelo governo australiano com a concessão do certificado National Carbon Offset Standard (NCOS). O complexo tornou neutro na emissão de carbono cinco anos antes do previsto.

A Ópera House possui traços sustentáveis em seu DNA. Projetada pelo arquiteto dinamarquês Jørn Utzon, conta com telhas autolimpantes e um sistema de resfriamento que utilizava a água do mar. As unidades de climatização do ar foram posteriormente substituídas por soluções modernas que melhoraram o resfriamento e o aquecimento, reduzindo o gasto energético em 9%.

Em 2014, as lâmpadas incandescentes da sala de concertos foram substituídas por soluções de LED – essa ação reduziu o consumo de energia em 75%. Dois anos mais tarde, a administração adotou um novo programa para gerenciamento de resíduos. Além de papéis e plásticos, foi possível reciclar telefones celulares, tubos de flúor, cartuchos de tinta e baterias. Com isso, a taxa de reciclagem aumentou de 25% para 60% ao ano.

A Ópera House ainda ganhou um novo sistema para controle de gerenciamento em 2017. Com ele, houve melhora no monitoramento do uso de água e energia, que culminou na economia de 9% de eletricidade. Além disso, alimentos que eram desperdiçados começaram a ser reaproveitados para gerarem energia. E houve, ainda, a adoção de um programa educacional sobre gerenciamento de resíduos para funcionários e empresas parceiras.

Loading
novidades fechar
Receba o boletim da
Galeria da Arquitetura
veja um exemplo