Galeria da Arquitetura

Um jeito diferente de ver o mundo da arquitetura.

Documento normatiza a prevenção e o combate ao fogo em edificações tombadas

Portaria n°366/2018 do Iphan define diretrizes para prevenção e combate a incêndio em prédios tombados (crédito: shutterstock.com / zulkamalober)

Texto: Pedro Miranda

10/09/2018|17:30 – O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) publicou, na última terça-feira (4), a portaria n°366/2018 que unifica nacionalmente as diretrizes para projetos de prevenção e combate a incêndio em edificações tombadas.

Segundo a presidente do Iphan, Kátia Bogéa, o documento vem sendo elaborado em conjunto com o Ministério Público Federal e representantes dos Corpos de Bombeiros de todo o país desde 2017. A portaria define como proprietários e gestores de edificações tombadas e o Iphan devem proceder para elaborar e analisar o Projeto de Prevenção e Combate a Incêndios e Pânico (PPCIP).

O PPCIP deverá ser aprovado pelo Corpo de Bombeiros local, enquanto o Iphan ficará responsável pela análise referente à preservação da integridade do bem. Caso necessário, o Iphan poderá sugerir alterações ao projeto, que deverá ser enviado novamente aos Bombeiros.

Medidas complementares mitigadoras

Caso as soluções apresentadas no PPCIP não sejam adequadas em relação à preservação do bem, o Iphan pode sugerir medidas complementares mitigadoras – que deverão ser posteriormente analisadas pelo Corpo de Bombeiros local. Entre as medidas estão:

• Controle de população de acordo com unidades de passagem disponíveis;

• Aplicação de material retardante de chamas;

• Controle de fumaça;

• Sistemas de gases inertes ou chuveiros automáticos;

• Brigada de incêndio;

• Sistema de alarme, detecção e combate a incêndio;

• Instalação de hidrantes públicos próximo à edificação protegida.

Para acessar o documento completo, clique aqui.


Loading
novidades fechar
Receba o boletim da
Galeria da Arquitetura
veja um exemplo