,
> > > Refettorio Gastromotiva

Refettorio Gastromotiva

Refettorio Gastromotiva
Projetado para atender pessoas em situação de vulnerabilidade social, o Refettorio Gastromotiva revela suas boas técnicas construtivas Foto/Imagem:Ilana Bessler

Restaurante na praça

O Refettorio Gastromotiva foi inspirado no projeto Food for Soul, que tem como proposta o combate ao desperdício mundial de alimentos, transformando aquilo que seria descartado em pratos elaborados para serem servidos a pessoas em situação de vulnerabilidade social.

Queríamos um projeto de grande impacto social, não só para o entorno da Lapa, mas para todo o Rio de Janeiro e que quebrasse antigos paradigmas locais, como diferença de classes sociais, exclusão e ligação com a cidade Gustavo Cedroni

Para dar vida ao espaço, os idealizadores do programa, David Hertz (fundador da ONG Gastromotiva), Alexandra Forbes (jornalista gastronômica) e Massimo Bottura (eleito o melhor chef em 2016 e criador do Food for Soul), convidaram um time de peso da arquitetura, arte e design: Vik Muniz, Maneco Quinderé, os Irmãos Campana e METRO Arquitetos.

O Refettorio Gastromotiva foi construído no bairro da Lapa, em um terreno de 320 m² doado pela Prefeitura do Rio de Janeiro. Situado entre os Arcos da Lapa e o Aterro do Flamengo, o local foi escolhido por ter uma pequena praça por onde circulam pessoas em situação de rua – as principais beneficiadas pelo restaurante.

“Queríamos um projeto de grande impacto social, não só para o entorno da Lapa, mas para todo o Rio de Janeiro e que quebrasse antigos paradigmas locais, como diferença de classes sociais, exclusão e ligação com a cidade. E claro que o design e as artes fizeram parte dessa discussão”, revela o arquiteto Gustavo Cedroni, do METRO.

Estrutura aparente

A principal dificuldade encontrada pelos profissionais foi o curto prazo para a construção do Refettorio Gastromotiva. Massimo Bottura fala que eles conseguiram “um pequeno milagre”, pois criaram um restaurante de 450 m² em apenas 60 dias.

Como a ideia principal era manter a ligação com a praça ao lado e consequentemente com a cidade, o restaurante se conecta de muitas maneiras com o entorno. Uma delas deve-se à translucidez do material da fachada, como as grandes portas que se abrem. Este foi um conceito importante na concepção do projeto.

As fachadas são compostas de chapas de policarbonato translúcido e com amplas portas que permitem uma grande abertura para a frente da praça, integrando a área externa e criando um ambiente convidativo a todos que circulam pela regiãoFoto: Ilana Bessler

O intuito era revelar todos os elementos. Redes de instalações complexas, estruturas metálicas e de concreto, grandes reservatórios de água, dutos, máquinas e a própria cozinha foram desenhados para dar força ao estabelecimento e torná-lo mais potente.

Os arquitetos optaram por usar materiais industrializados e manter as redes de infraestrutura aparentes não só somente pelo custo baixo dessas soluções, Frequentando a obra diariamente, pude evitar atrasos e que o projeto ficasse com um ar muito formal. Dessa forma, o Refettorio Gastromotiva ganhou uma espécie de caráter próprio, com uma perspectiva funcional, técnica e de baixo custo Gustavo Cedronimas principalmente porque queriam mostrar ao público como é feito um restaurante, com todas as curiosidades do processo construtivo.

O design também influenciou bastante a escolha das técnicas construtivas. “Frequentando a obra diariamente, pude evitar atrasos e que o projeto ficasse com um ar muito formal. Dessa forma, o Refettorio Gastromotiva ganhou uma espécie de caráter próprio, com uma perspectiva funcional, técnica e de baixo custo”, conta o arquiteto.

As fachadas são compostas de chapas de policarbonato translúcido. Elas também ganharam amplas portas que permitem uma grande abertura para a praça em frente, gerando maior integração com a área externa e criando um ambiente convidativo a todos que circulam pela região.

A estrutura metálica que monta a lateral do restaurante cria um jogo rústico com um antigo muro existente de pedra e tijolo – o qual foi mantido como elemento estrutural do projeto.

Cozinha integrada

O fato de o terreno ser comprido, estreito e plano ajudou na disposição do salão com pé-direito duplo, da cozinha e do escritório com pés-direitos simples e do plano inclinado da arquibancada. Essa variedade de volumes definiu as funções do layout do Refettorio Gastromotiva.

A cozinha foi inserida no meio do lote e com isso acabou abrangendo as áreas do salão principal, voltado para a rua e a praça, da área da arquibancada e pátio nos fundos. Ela é totalmente aberta, permitindo que os clientes assistam ao preparo da comida e tenham contato com os cozinheiros.

Refettorio Gastromotiva - Restaurante na praça
A cozinha – inserida no meio do lote – é totalmente aberta, permitindo aos clientes ver o preparo da comida e ter contato com os cozinheirosFoto: Ilana Bessler

Os cardápios são inéditos, feitos por renomados chefs do mundo que oferecem deliciosas refeições aos convidados.

Para completar, obras do consagrado artista plástico Vik Muniz tornam o ambiente mais leve e alegre.

Mobiliário exclusivo

A solução foi usar uma linda luz fluorescente junto à parede de tijolo, que além de iluminar esse material já existente no terreno, valoriza as obras de arte escolhidas para o projeto Gustavo Cedroni

O mobiliário, as divisórias, as estantes e os armários do Refettorio Gastromotiva foram feitos com compensado naval, um material industrializado muito frequentemente usado na indústria moveleira.

As mesas e os bancos do salão principal foram desenhados pelos designers Irmãos Campana especialmente para o restaurante.

Projeto de iluminação

Desenvolvido pelo iluminador Maneco Quinder, o projeto de iluminação buscou deixar os ambientes claros, mas sem ofuscar as pessoas durante as refeições. À noite, o prédio chama a atenção dos transeuntes por ficar todo iluminado. “A solução foi usar uma linda luz fluorescente junto à parede de tijolo, que além de iluminar esse material já existente no terreno, valoriza as obras de arte escolhidas para o projeto”, menciona Cedroni.

Nos salões de pé-direito duplo foram usados pendentes mais baratos. Eles foram dispostos em diferentes alturas, de forma mais ou menos aleatória. O conjunto de todos eles criou uma iluminação mais cênica e quente, além de destacar os planos das mesas do restaurante.

Escritório

METRO Arquitetos Associados16 projeto(s)

Local: RJ,Brasil
Início do projeto: 2016
Conclusão da obra: 2016
Área do terreno: 320
Área construída: 425

Tipologia:
Comercial

Materiais predominantes:

Diferenciais técnicos:

Ambientes e Aplicações:

SlideshowDesenhos e plantas
novidades fechar
Receba o boletim da
Galeria da Arquitetura
veja um exemplo