> > > Biblioteca de Praga

Biblioteca de Praga

Biblioteca de Praga
Na arquitetura moderna e inovadora, uma caixa com dupla pele de vidro e estrutura de concreto semelhante a uma pedra gigante abriga uma biblioteca Foto/Imagem:Arquivo Brasil Arquitetura

Diálogo com o mundo antigo

Em meio à paisagem ímpar de Praga, na República Tcheca, está a nova biblioteca nacional da cidade, projetada pelo escritório Brasil Arquitetura.

A construção está apoiada por duas cascas de concreto intertravadas por septos horizontais e verticais, formando um núcleo estrutural que comporta lajes nervuradas e protendidas – garantindo grandes vãos e balanços – envoltas por um vidro resistente para proteger o local.

Teremos a forma natural de uma pedra bruta, cercada pelas formas puras e humanas da geometria, amalgamadas e coesas, complementares Francisco FanucciDe acordo com Francisco Fanucci, arquiteto do escritório, a proposta sugere um cubo leve e transparente de vidro, suspenso por um núcleo monolítico de concreto de forma irregular. “Teremos em nosso edifício a forma natural de uma pedra bruta, cercada pelas formas puras e humanas da geometria, amalgamadas e coesas, complementares”, explica.

Fanucci acredita que a fenda vertical de acesso à biblioteca permitirá aos passantes ter a visão de uma pedra vazia. A surpresa acontece ao entrar na construção e encontrar os livros como um verdadeiro tesouro escondido.

Desvendando o tesouro

Distribuída por sete lajes de concreto – iguais e alinhadas, com pé-direito de 5,9 m –, a biblioteca forma um cubo fechado por dupla pele de vidro com proteção UV, intercalada com sistema de aletas pivotantes que controlam a incidência solar e a temperatura nas áreas internas, gerando economia de energia na iluminação e na climatização.

A pele também se elevará em, aproximadamente, 2 m de altura acima do terraço da cobertura para proteger a área do vento excessivo. A superfície externa da pedra terá concreto pigmentado e jateado, que deve conferir rudeza e irregularidade.

Internamente o edifício receberá concreto com formas triangulares de diferentes dimensões para obter uma superfície multipiramidal, deixando a luz entrar confortavelmente. Na superfície inferior das Criamos, em torno de um grande vazio central, um ‘edifício’ cilíndrico de estantes de livros, presente nos oito pavimentos duplos, desde o primeiro subsoloMarcelo Ferraz lajes, o concreto fica aparente.

Já o piso é fechado com placas encaixadas nas nervuras, o que permite distribuir toda a rede de instalações do prédio. É possível, ainda, alterar o layout dos espaços e facilitar a manutenção da edificação.

Um edifício dentro do outro

Dentro das cascas do núcleo estrutural serão distribuídos nos espaços, sanitários, instalações, salas de apoio e especiais, para guardar livros e documentos raros. “Criamos, em torno de um grande vazio central, um ‘edifício’ cilíndrico de estantes de livros, presente nos oito pavimentos duplos, desde o primeiro subsolo”, explica Marcelo Ferraz, da Brasil Arquitetura. Nas lajes externas, áreas destinadas à leitura e às atividades administrativas ganharam privilegiada vista para o parque da cidade, além de farta entrada de luz natural.

A construção também será equipada com café, livraria e elevadores a partir do pavimento térreo. O estacionamento e a biblioteca do Parlamento ocupam o primeiro subsolo, andar de acesso para os visitantes.

O restante dos pavimentos se destinará à manutenção e à guarda do acervo. Por fim, a cobertura do prédio será destacada pelo topo da casca do núcleo estrutural, que abriga auditório e restaurante e, no verão, se estenderá pelo terraço.

Escritório

Brasil Arquitetura18 projeto(s)

Local: PR,Rep. Tcheca
Início do projeto: 2006
Área construída: 57.000

Tipo de obra:
Bibliotecas

Materiais predominantes:

Diferenciais técnicos:

SlideshowDesenhos e plantas
novidadesfechar
Receba o boletim da
Galeria da Arquitetura
veja um exemplo